Notícias » Brasil

Lista da Fundação Palmares pode apresentar apenas personalidades mortas

A mudança foi anunciada pelo presidente da fundação, Sérgio Camargo

Giovanna de Matteo Publicado em 12/11/2020, às 11h32

Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares, mudou as regras de inclusão de nomes na lista de personalidades negras
Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares, mudou as regras de inclusão de nomes na lista de personalidades negras - Divulgação/Twitter

Uma mudança nas regras de inclusão de nomes na lista de personalidades negras da  Fundação Palmares foi anunciada na última terça-feira, 10, por Sérgio Camargo, presidente da instituição.

As novas medidas devem excluir os nomes de pessoas vivas da lista, como Gilberto Gile Elza Soares. Ou seja, a lista será remanejada apenas com homenagens póstumas, composta inteiramente por celebridades negras que já morreram.

Camargo anunciou a decisão através de seu perfil no Twitter e já divulgou alguns nomes que serão incluídos na listagem: “Serão adicionados, entre outros, Mussum, Wilson Simonal, Luiz Melodia e João do Pulo”, escreveu ele em um post na rede social. A lista oficial com todos os nomes está prevista para ser divulgada no dia 1 de dezembro.

A portaria de nº 189 foi publicada pelo Diário Oficial na edição de 11 de novembro. Ela explica que a lista poderá ser composta apenas por personalidades negras relevantes, nacionais ou estrangeiras, que ja tenham morrido e tenham contribuído historicamente para o Brasil e “ter os princípios definidos pelo Estado brasileiro". Ainda poderá haver outros critérios exclusivos que serão avaliados no momento da indicação.

Os nomes indicados deverão ser aprovados pela Diretoria da Fundação. Se por algum acaso existir contradição, a nomeação poderá ser contestada à Comissão Técnica, que realizará uma análise em até um mês. Já em casos de omissão a decisão será entregue ao presidente da Fundação.

Segundo o El País, nomes como Milton Nascimento, Leci Brandão, Givânia Maria da Silva (fundadora da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas - CONAQ), Martinho da Vila, Zezé Motta, entre outros, não estarão mais na lista.