Notícias » Internacional

Mais duas vítimas do 11 de setembro são identificadas por investigadores de Nova York

Os trágicos e inesquecíveis ataques ao World Trade Center, as chamadas Torres Gêmeas, aconteceram há quase 20 anos

Luíza Feniar Migliosi, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 08/09/2021, às 16h00

Memorial de 11 de setembro no Ground Zero, em 31 de agosto de 2021, na cidade de Nova York
Memorial de 11 de setembro no Ground Zero, em 31 de agosto de 2021, na cidade de Nova York - Getty Images

Investigadores da cidade de Nova York identificaram mais duas pessoas mortas no World Trade Center em 11 de setembro de 2001, pouco antes dos EUA completarem 20 anos dos ataques terroristas. Elas se tornaram as 1.646ª e 1.647ª vítimas a serem identificadas, dentre as 2.753 pessoas mortas no World Trade Center, sendo que 1.106 permanecem oficialmente não identificadas, segundo o jornal The Guardian.

O escritório da legista-chefe de Nova York informou que se baseou em análises de DNA para identificar Dorothy Morgan e um homem cujo nome está sendo omitido pelas autoridades a pedido de sua família.

"Vinte anos atrás, fizemos uma promessa às famílias das vítimas do World Trade Center de fazer o que fosse necessário pelo tempo que fosse necessário para identificar seus entes queridos e, com essas duas novas identificações, continuamos a cumprir essa obrigação sagrada”, Barbara A Sampson, legista-chefe da cidade de Nova York, relatou em um comunicado.

Não importa quanto tempo passe desde 11 de setembro de 2001, nunca esqueceremos e nos comprometemos a usar todas as ferramentas à nossa disposição para garantir que todos aqueles que foram perdidos possam se reunir com suas famílias", pontuou.

Dorothy Morgan foi identificada por meio de testes de DNA de restos mortais recuperados em 2001, disse o Gabinete do Médico Legista-Chefe de Nova York (Ocme, na sigla em inglês). A identidade ainda não revelada do homem foi confirmada também por meio de testes de DNA de restos mortais recuperados em 2001, 2002 e 2006.

Mark Desire, diretor assistente do departamento de biologia forense da Ocme e gerente da Equipe de Identificação de DNA do World Trade Center afirmou que “o compromisso hoje é tão forte quanto era em 2001”.

No total, 2.977 pessoas foram mortas nos ataques de 11 de setembro. Naquele trágico dia, dois aviões atingiram o World Trade Center, enquanto outra aeronave teve o Pentágono como alvo e um quarto avião caiu na Pensilvânia.