Notícias » Mundo

Mianmar: Líder de golpe militar diz que irá soltar 5 mil prisioneiros nesta semana

Os encarcerados são pessoas que se manifestaram de forma contrária ao golpe de Estado no início deste ano

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 18/10/2021, às 16h39

Protestos que ocorreram em fevereiro em Mianmar
Protestos que ocorreram em fevereiro em Mianmar - Getty Images

O governo de Mianmar anunciou que irá libertar um total de 5.636 prisioneiros na próxima quarta-feira, 20, por "razões humanitárias". A data é simbólica pois é quando o país comemora o Festival da Iluminação, um feriado budista

Os encarcerados que receberão sua liberdade de volta foram presos por participarem dos protestos que ocorreram em fevereiro deste ano em oposição ao golpe militar que se desenrolava no território. 

"Por diversas razões, eles participaram em protestos violentos. Entre os que estão cumprindo a sentença ou enfrentando julgamento, as pessoas apropriadas receberão perdão por conta do festival", afirmou o general Min Aung Hlaing, que liderou as Forças Armadas na tomada do governo, conforme repercutido pela BBC. 

O líder militar também declarou que foi elaborado um planejamento de cinco passos que tem como objetivo restaurar a democracia em Mianmar. 

Segundo divulgado pela Associação de Assistência aos Presos Políticos e repercutido pelo veículo, a repressão aos protestos contra o golpe envolveu o assassinato de 1.178 pessoas, e a prisão de outras 7.355. 

Em julho deste ano, o governo estabelecido pelas Forças Armadas havia libertado mais de 2 mil manifestantes.