Notícias » Crimes

Mulher é acusada de sequestrar e matar amiga de infância para roubar seu bebê

A criminosa ficou meses planejando o crime e mentindo sobre uma suposta gravidez, para, então, asfixiar sua amiga e roubar a criança

Pamela Malva Publicado em 30/01/2020, às 09h00

Magen Fieramusca
Magen Fieramusca - Departamento de polícia de Austin

No dia 19 de dezembro de 2019, o corpo de uma mulher foi encontrado no porta-malas de um carro, em uma área residencial em Houston, Estados Unidos. Agora, uma amiga da vítima foi indiciada por matá-la, a fim de ficar com sua filha.

Magen Fieramusca, de 34 anos, já havia sido indiciada anteriormente por sequestrar Heidi Broussard, de 33 anos, e sua filha ainda bebê, além de adulterar o cadáver da mulher. Na terça-feira, 28, graças às investigações, ela foi acusada de matar Heidi.

Em comunicado à imprensa, a promotoria afirmou que Magen, também conhecida como Maygen Humphrey, sequestrou Heidi e a bebê de três meses, Margot Carey, no dia 12 de dezembro. Já com as duas sob seu domínio, a Magen matou Heidi por asfixia.

O namorado da vítima, Shane Carey, disse em entrevistas que, quando percebeu o sumiço de Heidi e Margot, chamou a polícia imediatamente. A mulher foi vista por último ao deixar o filho na escola. Seu carro e todos os seus pertences foram encontrados onde residia.

Heidi com Margot em seus braços / Crédito: Departamento de polícia de Austin

 

Ainda de acordo com a promotoria, Magen planejava sequestrar a filha de Heidi há meses, mentindo sobre também estar grávida. Segundo Shane, as amigas, que se conheciam há dez anos, supostamente engravidaram no mesmo período de 2019.

Magen sustentou a mentira por meses, até a pequena filha de Heidi nascer. Ela, então, colocou seu plano em prática e foi atrás de Heidi. Com Margot em mãos, ela apresentou o bebê para seu namorado, como se fosse seu.

Ao companheiro, Magen alegou que entrara em trabalho de parto sem que ele estivesse presente e deu à luz o bebê. Após ser indiciada, Magen foi presa. Suas fianças por assassinato e sequestro foram fixadas em 1 milhão e 100 mil dólares, respectivamente.