Notícias » Paleontologia

Museu homenageia garota que achou pegada de dinossauro de 220 milhões de anos

Lily Wilder, de quatro anos, é responsável por uma das principais descobertas paleontológicas do País de Gales nos últimos tempos

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Penélope Coelho Publicado em 22/07/2021, às 09h22

Lily com dinossauro de brinquedo no Museu
Lily com dinossauro de brinquedo no Museu - Divulgação / Museu Nacional de Cardiff

A pequena Lily Wilder, de quatro anos, foi eternizada em homenagem no Museu Nacional de Cardiff, no País de Gales, devido à descoberta que teve em fevereiro de 2021, enquanto passeava com o pai em uma praia.

Na ocasião, chamou atenção dele por uma suposta pegada de dinossauro, inicialmente desacreditada pelo parente, mas, posteriormente confirmada por paleontólogos e datada em 220 milhões de anos.

Após análises do trecho onde a pegada foi feita, a rocha foi retirada e estará em uma redoma de vidro com uma surpresa ao lado; próximo à marca deixada pelo animal histórico, o museu esculpiu o nome da jovem responsável pelo achado.

Em comunicado, a curadora de paleontologia do Museu, Cindy Howells, explicou a importância do item e afirmou que a participação da garota na descoberta foi essencial para compôr o acervo da instituição:

Esta pegada de dinossauro fossilizada, de 220 milhões de anos atrás, é um dos exemplos mais bem preservados de qualquer lugar do Reino Unido e realmente ajudará os paleontólogos a ter uma ideia melhor sobre como eles os primeiros dinossauros caminharam. Sua aquisição pelo museu deve-se principalmente a Lily e sua família que o avistaram pela primeira vez".

O Museu também promoveu um evento para inaugurar a nova peça, em uma exposição intitulada "Lily's Fossil Footprint" ("Pegada Fóssil da Lily", em tradução livre), contando com a presença da criança e parentes.

A pegada possui 10 centímetros de comprimento, resultando em estudos que estimam a altura do animal em 75 cm, tendo um comprimento de 2,5 m quando ainda era vivo, como informa o portal de notícias UOL.