Notícias » Coronavírus

O que se sabe até o momento sobre a nova variante da Covid identificada na África do Sul

Com mais de 50 mutações, a cepa ‘B.1.1.529’ causa alerta no mundo e preocupa especialistas

Penélope Coelho Publicado em 26/11/2021, às 14h11

Imagem meramente ilustrativa da Sars-cov-2
Imagem meramente ilustrativa da Sars-cov-2 - Divulgação/Pixabay/TheDigitalArtist

Principalmente nos últimos dias, a nova variante do novo coronavírus, B.1.1.529, detectada inicialmente na África do Sul vem gerando alerta ao redor do mundo.

Até o momento, ainda não se sabe ao certo o quanto a nova cepa é mais transmissível, entretanto, acredita-se que um total de 50 mutações tenham sido localizadas nela, como informou o professor Tulio de Oliveira, diretor do Centro para Resposta Epidêmica e Inovação, na África do Sul.

De acordo com informações publicadas pelo portal de notícias g1, nesta sexta-feira, 26, a variante já é considerada aquela com maior número de mutações.

Ao redor do mundo, especialistas se preocupam em entender como a B.1.1.529 pode afetar a eficácia das vacinas já produzidas contra a Covid-19. Por ser tão diferente do vírus inicial, há indícios de que os imunizantes atuais não funcionem tão bem contra essa cepa.

Em decorrência da nova variante sul-africana, diversos países do mundo como: Alemanha, Itália, Reino Unido, Holanda, Israel e outros, já fecharam suas portas para viajantes de nações africanas.

Até o momento, há casos confirmados na África do Sul, Botsuana, Hong Kong, Israel e Bélgica. No caso israelense foi detectada a presença da nova cepa em uma pessoa que veio do Malauí.

Segundo o Ministério de Israel, a pessoa infectada já havia tomado a vacina contra a Covid-19. Acredita-se que ainda hoje a OMS batize oficialmente a nova variante.