Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Arqueologia

Oficina de ferramentas de 1,2 milhão de anos atrás é encontrada na Etiópia

Grupo desconhecido de parentes dos seres humanos já criava ferramentas de pedra vulcânica há 1 milhão de anos; é o achado mais antigo nesse sentido

Eduardo Lima, sob supervisão de Wallacy Ferrari Publicado em 07/02/2023, às 16h38

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Representação artística dos hominídeos que construíam as ferramentas de obsidiana - Divulgação/Nature/Mussi et. al
Representação artística dos hominídeos que construíam as ferramentas de obsidiana - Divulgação/Nature/Mussi et. al

Uma enorme oficina de ferramentas foi encontrada na Etiópia. Lá, um grupo de parentes desconhecidos dos seres humanos construía machados de mão afiados a partir de vidro vulcânico.

O achado é datado de 1,2 milhão de anos atrás, e sugere que ancestrais dos seres humanos podem ter começado a construir ferramentas de obsidiana de maneira metódica quase meio milhão de anos antes dos outros registros anteriores. As informações são do site LiveScience.

A ideia de uma oficina e da fabricação de ferramentas de maneira metódica envolve habilidades e conhecimentos específicos, então achados como esse ajudam a entender melhor a evolução da mente humana. Essas ferramentas de obsidiana encontradas são, muito provavelmente, os registros mais antigos de uma oficina do tipo.

Como encontraram?

No novo estudo que descobriu essa oficina de hominídeos, os arqueólogos investigaram um conjunto de sítios de escavação chamado Melka Kunture, no vale do rio Awash, na Etiópia. Essa é a área onde foram encontrados alguns dos melhores fósseis de hominídeos, inclusive da famosa ‘Lucy’.

Entre os achados estão 575 artefatos feitos de obsidiana, incluindo 30 machados de mão. A datação das peças encontradas se deu por meio de análise das camadas geológicas em que os objetos foram encontrados.

Para uma das autoras do estudo, Margherita Mussi, essa descoberta é mais um indicativo de que os ancestrais dos seres humanos não viviam da maneira violenta e selvagem que normalmente imaginamos, mas que eram inteligentes e aproveitavam suas oportunidades para testar o que descobrissem.

Existem evidências de uma troca e comércio de obsidiana de 1,4 milhão de anos atrás, e essa nova descoberta pode também ajudar a entender melhor esse aspecto da história dos hominídeos. A rocha podia ser apreciada esteticamente ou só por sua funcionalidade, sendo muito afiada. O estudo foi publicado na revista Nature.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!