Notícias » Estados Unidos

Passaporte de vacinação para viagens internacionais pode ser criado nos EUA

O secretário de Segurança Interna informou que a medida está sendo estudada; contudo, a ideia já está gerando polêmicas

Penélope Coelho Publicado em 28/05/2021, às 14h00

Imagem meramente ilustrativa de uma pessoa sendo vacinada
Imagem meramente ilustrativa de uma pessoa sendo vacinada - Getty Images

De acordo com informações da agência de notícias AFP, publicadas nesta sexta-feira, 28, pelo UOL, o secretário de Segurança Interna dos EUA, Alejandro Mayorkas, informou que os Estados Unidos estão estudando a possível adoção de um passaporte de vacinação para viagens internacionais.

A ideia se refere à criação de uma espécie de documento especial para norte-americanos que já foram vacinados contra o novo coronavírus, e que fazem viagens para fora do país.

De acordo com Mayorkas, o governo do atual presidente Joe Biden, se preocupa em “assegurar que os passaportes que forem oferecidos para a vacinação estejam disponíveis para todos e que ninguém fique de fora".

Contudo, a possível medida já está causando polêmica nos Estados Unidos, isso porque alguns estados não concordam com a ideia, como a Flórida e o Texas, que acreditam que a medida violaria os direitos fundamentais dos estadunidenses. Outra questão se refere aos certificados próprios de cada estado, como acontece com Nova York.

De qualquer forma, as autoridades norte-americanas não são as únicas que pretendem iniciar a criação de um passaporte de vacinação. Sabe-se que a União Europeia já está trabalhando no lançamento de um certificado de saúde para o mês de junho.


Sobre a Covid-19

De acordo com as últimas informações divulgadas pelos órgãos de saúde, atualmente, os Estados Unidos registram 33,2 milhões de pessoas infectadas, e as mortes em decorrência da doença já chegam em 593 mil no país.  

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano.