Notícias » Paleontologia

Pesquisadores podem ter identificado fragmento de asteroide que matou dinossauros

Descoberta foi feita em sítio arqueológico da Formação Hell Creek, na Dakota do Norte

Redação Publicado em 12/05/2022, às 12h03

Fragmento do asteroide descoberto pelos cientistas
Fragmento do asteroide descoberto pelos cientistas - Divulgação/BBC Studios

Pesquisadores podem ter encontrado um pequeno fragmento do asteroide que atingiu a Terra e extinguiu os dinossauros há cerca de 66 milhões de anos. A descoberta foi feita em um sítio arqueológico situado na Formação Hell Creek, na Dakota do Norte, nos EUA.

A identificação da peça foi revelada pelo novo documentário do programa “Nova” da emissora americana PBS. Em "Dinosaur Apocalypse", o naturalista David Attenborough e o paleontólogo Robert DePalma contam detalhes sobre o importante material.

Além do pequeno fragmento do asteroide, foram encontrados ainda peixes, que sugaram detridos expelidos naquele momento, uma tartaruga e uma perna que os especialistas acreditam ter pertencido a um dinossauro que esteve presente no evento.

O sítio onde os fósseis foram identificados é conhecido como Tanis e está sendo escavado por DePalma desde 2012. O local está a mais de 3.200 quilômetros de distância da cratera de impacto de Chicxulub, onde o asteroide atingiu a costa do México.

Mas, segundo o pesquisador, novas evidências encontradas no local podem mostrar mais detalhes sobre como aconteceu o fim dos dinossauros, como reportou o jornal O Globo.

“Uma evidência após a outra começou a se acumular e mudar a história. Foi uma progressão de pistas, como uma investigação de Sherlock Holmes”, brinco. “Ele dá uma história momento a momento do que acontece logo após o impacto e você acaba obtendo um recurso tão rico para investigação científica”, acrescentou.

Para Michael Benton, professor de paleontologia de vertebrados da Universidade de Bristol, que foi consultor científico do documentário, existe uma “questão de convenção” que novas alegações científicas passem or revisão de parem antes de serem reveladas na TV.

No entanto, o especialista afirma que a teoria de que o sítio arqueológico em questão pode ter sido o “último dia” dos dinossauros foi aceita por muitos paleontólogos, incluindo ele mesmo.

“Alguns especialistas disseram 'bem, pode ser no dia seguinte ou um mês antes'... Mas eu prefiro a explicação mais simples, que é que realmente documenta o dia em que o asteroide atingiu o México”, argumentou.