Notícias » Brasil

Por celebrar uniões homoafetivas, pastora recebe ameaça de morte

Odja Barros chegou a receber fotos de um revólver

Fabio Previdelli Publicado em 15/12/2021, às 17h17

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Creative commons via PxHere

Na última terça-feira, 14, a pastora Odja Barros, líder religiosa da Igreja Batista do Pinheiro, prestou queixa após receber ameaças de morte. O amedrontamento começou após Barros celebrar um casamento entre duas mulheres no começo do mês, em Maceió. 

Odja revela que as ameaças começaram após o Universa, do UOL, publicar uma matéria sobre a líder religiosa, que possui um histórico de aceitar realizar celebrações religiosas entre mulheres. 

Ao UOL, Odja Barros conta que muitas pessoas a elogiaram e lhe enviaram mensagens de carinho. Em contrapartida, a religiosa recebeu diversas ameaças por realizar casamentos homoafetivos. Uma delas, aliás, chamou a atenção pelo fato do agressor virtual enviar a foto de uma arma. 

"Tá vendo esse revólver aqui? Eu vou colocar cinco bala [sic] na sua cabeça, viu, sua sapatão?! Nunca que você é uma teóloga. Nunca, mano! Tá tirando, mano. Tu tá usando a Bíblia, mano, que nunca leu um livro pra casar duas mulé [sic], sendo que Deus condena isso lá em Levítico. Você tá tirando, mano, teóloga? Quantos livro [sic] você leu, cara? Você vai pagar, minha irmã, porque eu já tenho aqui os seus familiares", dizia a mensagem.

Parte da mensagem recebida pela pastora/ Crédito: Arquivo Pessoal

 

A ameaça partiu de um perfil de um homem que se diz morador de Maceió. Cristão, a descrição de seu perfil diz: "DEUS tu és o rei, o supremo Governador de tudo!". O perfil possui quase 17 mil seguidores.

Na manhã de hoje, 15, Odja foi até a Delegacia-Geral de Alagoas, onde prestou depoimento. Agora, o caso será enviado para investigação de um delegado especial, que cuida de casos deste teor.