Notícias » Brasil

Por fala sexista sobre ucranianas, motorista acaba demitido

“Caso com elas e pronto! Faço umas horinhas extras no ônibus e dá pra casar com duas [ucranianas] aí”, disse o homem

Fabio Previdelli Publicado em 08/03/2022, às 17h33

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Creative Commons via piqsels

Uma conversa entre o motorista de um ônibus e alguns cobradores acabou terminando em demissão na região metropolitana de Curitiba. O caso aconteceu no último domingo, 6, após o bate-papo ser gravado por uma passageira. 

Em um vídeo que circula nas redes sociais, é possível ouvir o motorista proferindo falas sexistas sobre ucranianas. “Caso com elas e pronto! Faço umas horinhas extras no ônibus e dá pra casar com duas [ucranianas] aí”. 

Segundo a passageira, que não teve sua identidade revelada, a conversa aconteceu enquanto ela voltava para casa sozinha, no período da noite. Foi então que ela pegou o transporte público que liga Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, até a Praça Rui Barbosa, no centro da capital.

“Eu pensei, vou sentar perto do motorista para me sentir mais segura. Sentei na segunda fileira e vi que o motorista estava conversando com dois colegas que estavam na fila de atrás dele. Eles davam muita risada e comecei a prestar atenção. Nisso vi que eles estavam debochando das ucranianas. Fiquei em choque e comecei a gravar. Fiz questão de olhar diretamente para eles e mostrar que estava ali, mas eles continuaram a conversa tranquilamente", relatou a mulher ao UOL.

Segundo reportagem do portal de notícias, o estado do Paraná abriga mais de meio milhão de descendentes de ucranianos, sendo que grande parte reside em Prudentópolis, no centro sul do estado, onde a população de pessoas com ligações com o país do leste europeu chega a 80%.

Em outro trecho da gravação, o motorista diz que trará todas as ucranianas para a capital. “Vou gastar meu salário para buscar minhas 'namoradas'. Tudo em gasolina. Será que não dá para ir de biarticulado e buscar todas em uma viagem só? Eu trago aqui umas quatrocentas”. 

Além das falas misóginas, a gravação de cerca de oito minutos também possui falas racistas, onde há a comparação entre as haitianas e as ucranianas. "As haitianas estão aí estão um tempão e ele não quis nada", disse um cobrador. Logo em seguida o motorista responde: "Ah, as polaquinhas eu vou buscar".

Vou ter que comprar uma moto. Ir todo dia de manhã conhecer as meninas [em Prudentópolis] e depois vir trabalhar aqui. Como que eu vou tratar das coitadinhas das meninas, elas vão vir para o Brasil para passar fome? Aí não, coitadas", continua. 

Por fim, ele completa. "Eu tô fodido, vou gastar todo o meu salário para buscar minhas namoradas. Tudo em gasolina".

Responsável pelo trecho, a companhia Expresso Sul informou, em nota, que "o funcionário que emitiu o deplorável comentário foi imediatamente desligado de nossos quadros, conforme determinam as normas de compliance estabelecidas pela Expresso Azul". 

De acordo com a passageira, as falas se deram com naturalidade e os envolvidos não se preocuparam em estarem em um ambiente público e de trabalho. “Eles se sentiam no direito de falar aquilo e acharam não iam ter consequência. Eles serem punidos serve como exemplo para as pessoas não façam isso. Ter uma punição e uma retaliação é muito importante nesse caso. Eu fiquei muito feliz que o motorista foi mandado embora".