Notícias » Mundo

Presidente da Argentina é o primeiro líder mundial a ser reinfectado pelo coronavírus

Alberto Fernández teve o diagnóstico comprovado neste sábado, 03.

Ingredi Brunato, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 03/04/2021, às 10h00 - Atualizado às 12h32

Fotografia do presidente argentino
Fotografia do presidente argentino - Wikimedia Commons

Na madrugada deste sábado, 3, o presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou que foi diagnosticado com Covid-19 pela segunda vez, tornando-se o primeiro chefe de estado a ser erinfectado pelo vírus. A informação foi repercutida pelo UOL.

"Queria contar-lhes que, ao terminar o dia de hoje, depois de apresentar um registro de febre de 37.3°C e uma leve dor de cabeça, realizei um teste de antígeno cujo resultado foi positivo", escreveu Alberto em suas redes sociais. 

O político de 62 anos foi vacinado com a Sputnik V, recebendo a primeira dose no último mês de janeiro, e a segunda em fevereiro. O imunizante criado na Rússia possui uma eficácia impressionante de 91,6%, com a substância sendo ainda mais efetiva para a terceira idade, chegando a 91,8%. 

Assim, o chefe de estado já possuía os anticorpos necessários contra o vírus, que são induzidos pelo imunizante. Em tais situações, as reinfecções são raras. No entanto, para completar a má sorte do presidente argentino, vale comentar que o segundo diagnóstico de coronavírus veio no dia de seu aniversário. 

Sobre a Covid-19

De acordo com as últimas informações divulgadas pelos órgãos de saúde, atualmente, o Brasil registra mais de 12,9 milhões de pessoas infectadas, e as mortes em decorrência da doença já chegam em 328.336 no país.

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano.  

De lá pra cá, a doença já infectou 130.949.998 de pessoas ao redor do mundo, totalizando cerca de 2.852.987 de mortes.