Notícias » Estados Unidos

Professora que se passava por negra pede demissão de universidade

O caso foi revelado na semana passada quando Jessica Krug, que tinha seus trabalhos focados na história da África, revelou ser uma mulher judia branca

Penélope Coelho Publicado em 10/09/2020, às 12h35

Jessica Krug em evento
Jessica Krug em evento - Divulgação/Daily Mail

De acordo com reportagem publicada pela BBC, na última quarta-feira, 9, a professora Jessica Krug pediu demissão da universidade em que trabalhava, a George Washington University.

O nome da professora foi assunto nas últimas semanas quando ela afirmou através de uma plataforma on-line que durante sua vida assumiu diversas identidades negras, mas, que na verdade era uma mulher judia branca.

Por sua vez, a universidade havia aberto uma investigação antes do pedido de demissão e informou através de suas redes sociais o seguinte comunicado sobre as aulas de Krug: “Suas aulas neste semestre serão ministradas por outros professores, e os alunos desses cursos receberão informações adicionais esta semana”.

Entenda o caso

Através da plataforma Meduim, Jessica Krug, de 38 anos — que até então era professora de história afro-americana na Universidade George Washington — revelou que apesar de ter feito fama afirmando ser uma mulher negra de origem caribenha, na realidade, tinha crescido em uma família judia branca do Kansas.

Em seu discurso a norte-americana afirmou que sua atitude foi “errada, antiética, imoral e colonial". Em sua carreira, Krug escrevia sobre a África e América Latina, além de lecionar sobre a história africana e colonial. A mulher chegou a receber apoio financeiro do Centro Schomburg para a Pesquisa da Cultura Negra.