Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Nelson Piquet

Projeto de Lei solicita mudança de nome para autódromo que homenageia Piquet

Projeto de Lei solicita a mudança de nome do autódromo após falas racistas do ex-piloto

Redação Publicado em 09/07/2022, às 10h36 - Atualizado às 10h40

Ex-piloto de F1 Nelson Piquet em entrevista - Divulgação/Vídeo/Metrópoles
Ex-piloto de F1 Nelson Piquet em entrevista - Divulgação/Vídeo/Metrópoles

Um projeto de lei apresentado à Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) pelo deputado Distrital Fábio Felix (Psol-DF), solicita que autódromo nomeado em homenagem ao ex-piloto de fórmula 1, Nelson Piquet, tenha seu nome alterado após falas racistas e homofóbicas pelo ex-competidor

O deputado Fábio Felix (PSOL) exige pelo projeto de lei que o autódromo situado no Setor de Recreação Pública Norte, ao lado do Estádio Mané Garrincha, tenha seu nome novamente como “Autódromo de Brasília”.

A mudança

Situado em Brasília, o autódromo foi inaugurado em 1974. Inicialmente com o nome de "Autódromo de Brasília", o local mudou de nome quando Piquet passou a ser seu arrendatário, adquirindo o nome oficial de Autódromo Internacional de Brasília Nelson Piquet.

Em comunicado, o deputado do Psol, Fábio Felix, afirmou que a solicitação da troca do nome do local, se deve ao fato de que a associação do ex-piloto com o Distrito Federal é "motivo de constrangimento para nossa população”.

“Infelizmente, essa denominação não merece ser mantida, porque recentes declarações notoriamente racistas e homofóbicas por parte do ex-piloto tornaram sua associação com o Distrito Federal motivo de constrangimento para nossa população”, escreveu. 

Fala racista 

Quanto às declarações racistas de Nelson Piquet, que citou o piloto Lewis Hamilton em uma entrevista o chamando de "neguinho" quando comparava o acidente com o holandês Max Verstappen em 2021 com o ocorrido com AyrtonSenna em 1990, Fábio Felix as classificou como "profundamente ofensivas". 

“As declarações do ex-piloto são profundamente ofensivas a qualquer pessoa, especialmente à população negra e à comunidade LGBTQIAP+, e envergonham nossos nacionais no exterior [...]", disse.

Além de afirmar que "não corresponde à verdade", a justificativa de Piquet de que o termo usado por ele teria uma conotação "coloquial", não sendo considerado racista no idioma português brasileiro.

"[..]Vale registrar que o ex-piloto divulgou nota em que, apesar de pedir desculpas pelos termos utilizados, afirma que o termo não teria conotação racial no Brasil, o que não corresponde à verdade”, disse Fabio Félix.", disse.

Durante entrevista para o canal Motorsports Talks, Piquet, ao relembrar o episódio no qual, o finlandês Nico Rosberg vence Hamilton no Grande Prêmio de Fórmula 1 de 2016, se utiliza de falas homofóbicas ao citar o piloto.

“O Keke [pai de Nico]? Era um bosta, não tinha valor nenhum. É que nem o filho dele [Nico]. Ganhou um campeonato… O neguinho devia estar dando mais c… naquela época, aí tava meio ruim”.