Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Arqueologia

'Quebra-cabeça antigo': Armadura romana de 1.800 anos é parcialmente remontada

Descoberta em 1906, antiga armadura romana "incrivelmente rara" foi encontrada dividida em mais de 100 peças; confira!

Éric Moreira Publicado em 23/01/2024, às 12h44

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Armadura romana de 1.800 anos remontada - Divulgação/Duncan McGlynn
Armadura romana de 1.800 anos remontada - Divulgação/Duncan McGlynn

Recentemente, o segmento de uma antiga armadura romana de 1.800 anos encontrada em 1906 e fragmentada em mais de 100 pedaços foi reconstruído por conservadores dos Museus Nacionais da Escócia. Com a conclusão do trabalho, o artefato será parte de uma próxima exposição do Museu Britânico: 'Legião: Vida no Exército Romano'.

Os conservadores do museu montaram meticulosamente o "quebra-cabeça antigo" ao longo de várias semanas de trabalho. Feita em latão, a armadura é datada do século 2, e foi encontrada na região de Trimontium, um antigo forte romano a sudeste de Edimburgo, capital da Escócia, segundo comunicado.

Este é um objeto incrivelmente raro e é ótimo que esta exposição nos tenha dado a oportunidade de reconstruí-lo", afirma também em comunicado o curador principal de arqueologia pré-histórica e romana dos Museus Nacionais da Escócia, Fraser Hunter. "A transformação é impressionante".

Reconstrução

A primeiro momento, segundo o Live Science, os pesquisadores acreditaram que o antigo artefato era parte de um protetor de coxa de um cavaleiro. Porém, conforme as peças metálicas iam se encaixando, eventualmente aquilo se revelou uma armadura que se estendia do ombro até a mão de seu usuário, semelhante a um equipamento utilizado pelos gladiadores.

+ Descoberta última arena de gladiadores construída por romanos

"O protetor de braço flexível é uma peça icônica de equipamento para os gladiadores romanos, por isso é incomum vê-lo como uma proteção para o braço da espada também para os soldados romanos", explica Richard Abdy , curador de moedas romanas e da Idade do Ferro no Museu Britânico.

Agora que foi reconstruído, você pode imaginar o legionário que o usou", complementa Fraser Hunter. "Era um símbolo de proteção e de status — o latão era caro e teria brilhado como ouro no braço da espada. Oferece uma conexão vívida com este importante período em que a Escócia ficava na fronteira norte do Império Romano."

+ Entenda como eram as antigas armaduras samurais

A exposição 'Legião: Vida no Exército Romano' ocorrerá de 1º de fevereiro a 23 de junho no Museu Britânico, onde será exibida a peça recém-montada.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!