Notícias » Brasil

Segundo investigação da PF, incêndios no Pantanal começaram em grandes fazendas

Para a Polícia Federal a suspeita é de que o fogo tenha sido causado com o objetivo de transformar algumas áreas em pastagem

Penélope Coelho Publicado em 25/09/2020, às 10h03

Fogo no Pantanal visto de cima
Fogo no Pantanal visto de cima - Divulgação/Sâmia Bomfim/Twitter

Segundo uma investigação que está sendo realizada pela Polícia Federal desde junho deste ano, as queimadas que já destruíram 25 mil hectares do Pantanal começaram em quatro grandes fazendas em Corumbá, no Mato Grosso do Sul. As informações são do portal de notícias G1.

De acordo com a publicação, a PF suspeita que o objetivo dos fazendeiros fosse colocar fogo na vegetação para transformar a região em área de pastagem. Até o momento, o bioma registra o maior número mensal de focos de incêndio desde o início dos registros realizados pelo do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 1998.

Segundo apontado pela investigação, todas as fazendas se encaixam no conceito de grandes propriedades, de acordo com a PF, foi notado a presença de gado em duas das quatro propriedades onde as chamas teriam começado, são elas:

Fazenda Califórnia, que pertence Hussein GhandourNeto, com 1.736 hectares; Campo Dania, de Pery Miranda Filho e de sua mãe, Dania Tereza Sulzer Miranda — a propriedade tem 3.061,67 hectares; Fazenda São Miguel, que pertence a Antônio Carlos Leite de Barros com 33.833,32 hectares; e a fazenda Bonsucesso, de Ivanildo da Cunha Miranda que conta com 32.147,06 hectares.