Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Espaço

Telescópio Hubble pode ter encontrado possível menor exoplaneta com vapor de água

Segundo os especialistas, os achados foram encontrados em um planeta com o dobro do diâmetro da Terra e com temperaturas altíssimas

Isabelly de Lima Publicado em 26/01/2024, às 14h24

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Concepção artística do exoplaneta GJ 9827d - Reprodução / NASA
Concepção artística do exoplaneta GJ 9827d - Reprodução / NASA

Astrônomos, por meio de observações do Telescópio Espacial Hubble, anunciaram a detecção de vapor de água na atmosfera do exoplaneta GJ 9827d, tornando-se o menor planeta fora do Sistema Solar com essa característica. A Agência Espacial Europeia (ESA) divulgou a descoberta em um artigo ainda não revisado por outros cientistas.

GJ 9827d é aproximadamente duas vezes maior que a Terra e foi observado com temperaturas em torno de 425ºC, tornando-o um ambiente inóspito. A detecção do vapor de água abre caminho para uma compreensão mais profunda da diversidade atmosférica em planetas rochosos.

Segundo o coautor do estudo, Björn Benneke, da Universidade de Montréal, essa descoberta é significativa para a pesquisa de planetas com atmosferas ricas em água fora do nosso sistema solar.Benneke afirma: "Este é um passo importante para determinar a prevalência e diversidade de atmosferas em planetas rochosos".

No entanto, os cientistas destacam que é prematuro afirmar se a atmosfera do planeta é composta majoritariamente por água ou se há uma pequena quantidade de vapor de água em uma atmosfera rica em hidrogênio. A diferença entre essas possibilidades pode indicar se o planeta possui uma atmosfera primitiva de hidrogênio/hélio que evaporou sob a radiação estelar.

Nosso programa de observação foi projetado especificamente com o objetivo não apenas de detectar as moléculas na atmosfera do planeta, mas também de procurar o vapor d'água”, conta Pierre-Alexis Roy, principal autor do artigo. “Qualquer um dos resultados seria entusiasmante, quer o vapor de água seja dominante ou apenas uma espécie minúscula numa atmosfera dominada por hidrogênio”.

Novas possibilidades

Agora, os cientistas especulam sobre a composição do planeta, sugerindo duas possibilidades: GJ 9827d pode ser uma mistura de água e rocha, semelhante a um "mininetuno", ou uma versão mais quente de Europa, uma lua de Júpiter, com água em sua atmosfera, de acordo com a Galileu.

Essa descoberta possibilita estudos mais aprofundados, e a ESA sugere que o Telescópio Espacial James Webb, da NASA/ESA/CSA, pode realizar espectroscopia infravermelha para buscar outras moléculas atmosféricas e expandir o conhecimento sobre o GJ 9827d.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!