Notícias » Afeganistão

“Venderam a pátria”, diz ministro da Defesa do Afeganistão sobre presidente

Ashraf Ghani foi motivado a deixar o país pelo grupo extremista Talibã, que tomou o palácio presidencial na capital do país

Redação Publicado em 16/08/2021, às 09h32 - Atualizado às 09h34

O ministro da Defesa do Afeganistão, Bismillah Mohammadi
O ministro da Defesa do Afeganistão, Bismillah Mohammadi - Getty Images

Em seu perfil no Twitter, o ministro da Defesa do Afeganistão, Bismillah Mohammadi, fez uma declaração em que afirmava que o presidente do país, Ashraf Ghani, “vendeu a nação”. As informações são do UOL.

Ele escreveu em suas redes sociais: "Eles amarraram nossas mãos nas costas e venderam a pátria, maldito homem rico e sua gangue".

Pouco antes da afirmação, Ghani havia deixado o país, motivado pela invasão do grupo extremista Talibã à capital do Afeganistão, Cabul. A fuga foi revelada por um ex-guarda do presidente ao Al Jazeera. 

O mandatário explicou que a decisão foi tomada porque a capital poderia ser tomada pelo caos numa possível recusa, visto que “incontáveis patriotas seriam martirizados e a cidade de Cabul seria destruída”.

"O Talibã venceu... E agora é responsável pela honra, propriedade e autopreservação de seus compatriotas", afirmam no comunicado divulgado através de sua conta no Facebook.

Como informa o UOL, o Talibã agora tem controle de Cabul, domínio que conseguiu restabelecer 20 anos após a entrada das tropas estadunidenses no território, tendo agora o "controle do palácio presidencial afegão", de acordo com a Reuters.

Embora a decisão tenha sido tomada pela unidade próxima do presidente, o general Mohammadi havia declarado antes da fuga do político que a segurança da capital estava “garantida” e que as Forças de Defesa e Segurança estavam “comprometidas com seu compromisso” em defendê-la. 

“Forças internacionais prontas para qualquer cooperação", afirmou ainda Mohammadi.