Matérias » Ciência

A peculiar saga de Wikie, a orca falante

Analisada em 2018, a gigante do oceano intrigou cientistas espanhóis por suas habilidades inusitadas de comunicação

Vanessa Centamori Publicado em 14/06/2020, às 08h00

Wikie, a orca
Wikie, a orca - Divulgação/ Aquário Marineland

Em uma cena hilária do filme Procurando Nemo, de 2003, um peixe cirurgião-patela fêmea, chamado Dory, diz que sabe falar "baleiês" e se contorce para tentar dialogar com uma baleia. Se a animação da Pixar gera risos, a vida real também pode nos fazer sorrir— é essa a ideia que passa um estudo realizado em 2018, por pesquisadores da Universidade Complutense de Madri, Espanha. 

Wikie, enquanto fala Oi para seu treinador / Crédito: Divulgação/Youtube 

 

Na pesquisa, foi estudada uma simpática baleia Orcinus orca, chamada Wikie, e suas habilidades de comunicação. Surpreendentemente, os especialistas descobriram que o mamífero marinho podia conversar. Mas era um papo que ía muito além de um sistema de sonar comum: a moradora do Aquário Marineland, no sul da França, era capaz de imitar palavras humanas. 

 

Treinada em idiomas  

Diferente de um papagaio, as habilidades de Wikie não eram perfeitas, mas ela se mostrou capaz de escutar e reproduzir frases simples como "Hello" (Oi, em inglês); "Amy" (o nome da treinadora); "bye bye" (tchau) e até “one, two, three” (um, dois, três).

Os pesquisadores treinaram-na do seguinte modo: primeiro, introduziram o animal do grupo dos cetáceos aos sons de diferentes grupos de animais que ela nunca tinha ouvido antes. Depois, ela passou a escutar comandos humanos. Conforme foi repetindo os sons, a orca aprendeu aos poucos a reproduzi-los. 

No entanto, por mais que as orcas possam imitar os humanos, elas não entendem as palavras que estão pronunciando, apontaram os cientistas. Por outro lado, em entrevista ao jornal The Guardian, o líder do estudo, Jose Abramson, revelou que acredita que Wikie seja ainda assim capaz de manter uma conversa básica.

"Sim, é concebível, se tivermos rótulos, descrições do que as coisas são", afirmou o cientista. "Isso já foi feito com um papagaio cinza e golfinhos usando linguagem de sinais". 

Wikie, no aquário onde vive / Crédito: Divulgação/Aquário Marineland 

 

Para se ter uma ideia, o mundo animal pode ser tão surpreendente que a primeira palavra de Wikie foi "Hello" (oi). Os treinadores, que não tinham grandes expectativas, ficaram emocionados ao ouvir aquilo. Imitar palavras é algo muito raro entre mamíferos — os golfinhos e as baleias belugas estão entre os poucos do grupo que são capazes de reproduzir sons de outras espécies. 

Orca é baleia?

Quando foi estudada, Wikie tinha 14 anos e um filhote de 3 anos. Ela não só sabia reproduzir sons, como também controlava a pressão de seu orifício de expelir água para que a fala fosse possível. A ilustre representante marca a primeira vez em que uma orca é flagrada imitando palavras humanas.

Por mais que esses animais sejam conhecidos popularmente como baleias assassinas, sob a classificação científica, as orcas são consideradas, na verdade, grandes parentes dos golfinhos. 

Já sobre o apelido de assassinas, bem, esse é um pouco exagerado e surgiu em parte porque as orcas conseguem abater presas com tamanhos muito maiores que os seus. Os ataques a humanos são raríssimos, e a maioria ocorre em cativeiro. 

Wikie em comparação com tamanho de menina / Crédito: Divulgação/Youtube 

 

Pescadores espanhóis criaram a alcunha assassina de baleias no século 18. A reputação pejorativa ficou mais popular na década de 1970, graças ao filme Orca – A Baleia Assassina. 

Atualmente, a má fama, a poluição e a construção de oleodutos ameaça alguns grupos de orcas, que estão em processo extinção. O número de remanescentes entre as residentes do sul dos Estados Unidos, por exemplo, é abaixo de 100. Estudos sobre esse grupo de mamíferos marinhos, assim como a pesquisa sobre Wikie, alertam para a necessidade de conservação desses animais belos, e, acima de tudo, muito inteligentes. 


+Saiba mais sobre o tráfico de animais nas obras disponíveis na Amazon

Joias da Floresta: Antropologia do Tráfico de Animais, por Felipe Ferreira Vander Velden (2018) - https://amzn.to/2yCEqN0

O Brasil na Rota do Tráfico Internacional de Animais Silvestres - A História da Operação Boitatá e a Serpente de Um Milhão de Dólares, por Carlos Magno Abreu (2013) - https://amzn.to/2xH9DPb

Rimas da floresta, por José Santos e Laura Beatriz (2007) - https://amzn.to/2XVHNJD

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W