Matérias » Curiosidade

“Achei que estivesse morta”: o emocionante reencontro de mãe e filha após 52 anos

Em história revelada em 2013, após décadas sem saber o paradeiro de sua figura materna, Linda Evans recebeu uma das notícias mais inesperadas de sua vida

Ingredi Brunato Publicado em 15/11/2020, às 10h00

Fotografia antiga da mãe de Linda Evans
Fotografia antiga da mãe de Linda Evans - Divulgação

Quando a polícia anunciou que arquivaria o caso de sua mãe desaparecida, Linda Evans decidiu que estava na hora de iniciar sua própria investigação. Para sua surpresa e felicidade, quando colocou fotos de sua mãe em anúncios de jornais através do país, recebeu uma resposta. 

Isso porque outra mulher, de uma província canadense, reconheceu a mulher que estava naquela foto. Era Lucy Ann Johnson, sua mãe. Não demorou muito para que entrasse em contato com Linda, e descobrisse que eram meio-irmãs. A diferença é que fazia 52 anos que a primeira não via sua figura materna. 

“Achei que ela estivesse morta todos esses anos”, contou Evans em entrevista à CBC no ano de 2013. E depois de tanto tempo deixada para especular sobre o paradeiro da mulher que a colocou no mundo, a experiência de viajar ao seu encontro para revê-la foi bizarra - porém da melhor forma possível. 

Reencontro 

Foto de Lucy Ann Johnson em 2013, com fotografia antiga em quatro atrás / Crédito: Divulgação 

 

Linda pegou um avião de sua terra natal para a província de Yukon, sem saber o que sentir durante o trajeto. “Eu estava ansiosa para encontrá-la, mas, sei lá, foi muito estranho saber de todas essas coisas. Depois de tanto tempo pensando que ela estava morta, de repente, ela está viva. E pensei: o que estava se passando pela cabeça dela, também?", revelou ainda ao veículo.  

A mulher também tinha muitas dúvidas sobre como seria sua recepção no aeroporto, onde seus recém-encontrados parentes esperavam por ela, sem ter ideia do que deveria esperar de uma situação tão inédita: “Eu a reconheceria? Como seria minha irmã? Como eu seria recebida - eu não queria forçar nada”, contou também. 

Porém, logo que desembarcou no aeroporto, Evans percebeu que não havia por que se preocupar. Quando avisou a mãe, a meia-irmã, o meio-irmão e um casal de tios, todos foram calorosos. Ela mal havia saído da área cercada, e Lucy Ann Johnson, que não via fazia 52 anos, lhe deu um abraço apertado e disse que a amava. 

Tampouco houve dificuldade em reconhecê-la: Linda descobriu que tinha o rosto muito parecido com o de sua meia-irmã, Rhonda, especialmente por conta das sardas e pele clara.

Aliás, sua mãe também tinha grandes semelhanças com ela: "Não sei como descrever - foi, tipo, surreal porque pude ver meu rosto em seu rosto e seus olhos em meus olhos.", explicou a canadense ainda à CBC, sobre sua experiência aquele dia no aeroporto. 

Um recomeço 

Para ter um verdadeiro recomeço, todavia, é preciso terminar os assuntos não resolvidos do passado. E Lucy Ann devia uma grande explicação à sua filha. Por isso, após alguma conversa, Evans foi direta, e perguntou para sua mãe porque ela havia simplesmente lhe deixado, sem dar notícias. Tinha, afinal, apenas 7 ou 8 anos quando a figura materna sumiu de sua vida. 

“Ela me disse que meu pai era realmente abusivo com ela e que também andava por aí com outras mulheres. Contou que ele disse a ela para sair, e ela voltou para nos buscar, mas meu pai avisou, 'Você não vai levar as crianças' e foi o fim de tudo. Ela nunca mais tentou depois disso", recordou Linda durante a entrevista de 2013, sobre o encontro que havia ocorrido um mês antes. 

Na época, a mulher refletia sobre a possibilidade de se mudar para a mesma província que a mãe, para aproveitar o tempo que ainda tinha com ela, então uma senhora de 77 anos.

Também desejava apresentar seus filhos para Lucy Ann, já que ela nunca teve a chance de conhecer os pequenos. Já que o destino tinha dado uma segunda chance para as duas viverem juntas, não havia por que não aproveitá-la ao máximo.


+ Saiba mais sobre o tema por meio de obras disponíveis na Amazon:

The Disappearance of Jean Spangler, de Charles River Editors (2018) - https://amzn.to/2z6PAKF

O Desaparecimento De Josef Mengele, de Olivier Guez (2019) - https://amzn.to/2SDhvIL

A verdade sobre o caso Harry Quebert, de Joël Dicker (2015) - https://amzn.to/3dn5sXE

O desaparecimento de Stephanie Mailer, de Joël Dicker (2019) - https://amzn.to/3dhUi6H

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W