Matérias » Família Real Britânica

Como a história de Wallis Simpson se assemelha com a de Meghan Markle

Casadas com membros da monarquia que deixaram suas posições, as situações vividas por essas mulheres podem ser parecidas em diversos pontos. Confira!

Penélope Coelho Publicado em 13/04/2021, às 11h24

Fotografia de Wallis Simpson, ao lado de foto de Meghan Markle
Fotografia de Wallis Simpson, ao lado de foto de Meghan Markle - Wikimedia Commons / Divulgação/NBC News

85 anos separam o nascimento de Wallis Simpson e Meghan Markle. Essas mulheres nunca se conheceram, já que Wallis faleceu em 1986, quando Meghan tinha somente cinco anos de idade.

Contudo, mesmo sem nunca terem convivido, a história de vida de ambas acaba apresentando algumas semelhanças que se tornam motivo de comparação, como revelou uma reportagem da BBC.

Norte-americanas e divorciadas, se relacionaram com membros populares da monarquia britânica. Simpson e Markle viram seus maridos abdicarem de suas posições na realeza e sofreram represália por isso.

História se repete 

Era dezembro de 1936, na Inglaterra, quando o então rei Edward VIII anunciou a decisão de abandonar o trono para poder se casar com uma mulher que não era aceita de jeito nenhum pela família real: BessieWallis Simpson.

Na época, a norte-americana nascida na Pensilvânia, havia acabado de se separar de seu segundo marido para poder viver com Edward. Não só por seu passado, mas também por sua personalidade descrita como 'questionável', a mulher não era bem-quista nem pelos súditos do rei.

Com a decisão, rapidamente, Simpson se tornou motivo de piada e foi tachada como ‘responsável pela destruição da monarquia britânica’ pela mídia e população. Ao se casarem, o ex-monarca e sua esposa se exilaram e partiram do Reino Unido.

Fotografia de Edward VIII e Wallis Simpson / Crédito: Getty Images

 

Muitos anos depois, uma história com pontos semelhantes voltou a acontecer. Em 2017, o príncipe Harry anunciou que iria se casar. A escolhida foi Meghan Markle, uma norte-americana da Califórnia, que já havia se separado e tinha uma carreira consolidada como atriz.

Em janeiro de 2020, o mundo se surpreendeu mais uma vez com a notícia de que outro popular membro da coroa deixaria sua posição. Na época, Harry anunciou que ele e sua esposa estavam temporariamente se ausentando de suas funções reais, com objetivo de se tornarem independentes.

Recentemente, em fevereiro de 2021, o duque e a duquesa de Sussex anunciaram oficialmente que não retornariam como membros ativos da família real britânica. Após o anúncio, em uma bombástica entrevista para Oprah Winfrey, a ex-atriz falou sobre os ataques que vem sofrendo: desde chacota por parte da mídia, calúnias envolvendo seu nome e até mesmo racismo. Mas em comum que isso, impossível

Após deixarem a realeza — assim como Edward e Wallis — o jovem casal também deixou o Reino Unido e partiu com destino ao Canadá, até se mudarem mais uma vez e se estabelecerem nos Estados Unidos.

Consequências incomparáveis 

Apesar das semelhanças evidentes, existem muitos aspectos diferentes na história dessas mulheres. De acordo com a escritora Anne Sebba, a saída de Harry e Meghan não teve o mesmo impacto que a decisão de Edward VIII, já que na ocasião, o homem era rei e atualmente Harry é o sexto na linha de sucessão ao trono.

Imagem do Príncipe Harry e sua esposa Meghan Markle / Crédito: Getty Images

 

Além disso, a historiadora Olivette Otele pontua que diferentemente de Markle, Simpson nunca teve um emprego. Depois de deixarem a realeza, ela e o marido nunca trabalharam. O que não parece ser o mesmo destino dos Sussex, que já estão colocando em prática seus planos nos negócios.

A profissional também reitera que os ataques sofridos por Wallis nem se comparam aos que Meghan recebe, já que além da gravidade e do racismo, atualmente com a  tecnologia as notícias, informações e boatos circulam muito mais rápido.


+Saiba mais sobre a família real britânica por meio de obras disponíveis na Amazon:

Diana. O Último Amor de Uma Princesa, de Kate Snell (2013) - https://amzn.to/2TgHgPO

The Queen: The Life and Times of Elizabeth II (Edição Inglês), de Catherine Ryan (2018) - https://amzn.to/2RhgNA7

God save the queen - O imaginário da realeza britânica na mídia, de Almeida Vieira e Silva Renato (2015) - https://amzn.to/2xTkiGd

O Amor Da Princesa Diana, de Anna Pasternack (2018) - https://amzn.to/2xOZ8c9

A história do século XX, de Martin Gilbert (2017) - https://amzn.to/2yFZMcv

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7