Matérias » Brasil

Como surgiu o SUS — e como era antes do sistema

Criado há mais de três décadas, o SUS representou uma grande mudança no sistema de saúde brasileiro

Giovanna Gomes Publicado em 12/01/2021, às 16h38

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Wikimedia Commons

O Sistema Único de Saúde (SUS), vezes defendido e vezes alvo de intensos debates, trata milhões de brasileiros todos os anos. Com origem na década de 1980, é considerado um dos maiores sistemas públicos de saúde do mundo, sendo o único a 'garantir assistência integral e completamente gratuita', conforme informações da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. 

A criação do SUS

Conforme documentado pela secretaria, a origem do SUS remonta a 1988 quando foi assinada a Constituição Federal Brasileira - até hoje vigente.

No artigo 196 do texto consta que: “a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem a redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação”.

O SUS disponibiliza à população todas as vacinas consideradas necessárias pela OMS / Crédito: Pixnio

 

Mesmo antes de a Constituição assegurar o direito à saúde, vários grupos que integravam o movimento sanitário idealizaram e lutaram nos anos 70 e 80 por um sistema público de saúde.

E foi assim, desde de o mês de setembro de 2000, que o SUS passou a ser administrado a partir de recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados e dos Municípios.

Antes do SUS

Conforme informa o site do médicoDrauzio Varella, antes do SUS ser criado, a saúde pública era liderada pelo Instituto Nacional de Assistência Médica e Previdência Social (Inamps), criado em 1977.

Contudo, esse sistema não fornecia acesso universal à saúde, pois somente quem trabalhava em empregos formais e contribuíam com a Previdência Social eram atendidos. 

Agência do Inamps na década de 1960 / Crédito: Divulgação/ Acervo Xico Tebaldi

 

De acordo com o médico sanitarista e mestre em saúde pública Hêider Aurélio Pinto, o Inamps surgiu pela pressão das grandes companhias, que não queriam que seus funcionários perdessem dias de trabalho por motivo de doença. O sistema era mantido tanto pelo governo, quanto pelo empregador e também pela população.

As pessoas que não se encaixavam na categoria exigida tinham de buscar o sistema privado ou mesmo instituições como as Santas Casas de Misericórdia e os hospitais universitários, que realizavam atendimento gratuito. O número dessas instituições, no entanto, era muito pequeno para a demanda.

Assim, foi com a criação do SUS que a saúde passou a ser universal e pensar no brasileiro como um ser humano e não uma máquina.

Sede Institucional da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia, em São Paulo / Crédito: Wikimedia Commons

 

Serviços

Assim, o Programa Nacional de Imunização (PNI), promovido pelo SUS, é responsável, por exemplo, por 98% do mercado de disponibilização de vacinas em solo brasileiro. É através desse sistema que o Brasil disponibiliza gratuitamente todas as vacinas indicadas pela OMS para combater diversas doenças no país. 

Através do SUS, o Brasil também conta com o maior sistema público de transplante de órgãos do mundo. Dados divulgados em 2019 pelo Ministério da Saúde indicam, por exemplo, que 96% dos procedimentos médicos de transplante são realizados através do sistema de saúde.

Além disso, o sistema também oferece assistência gratuita para os brasileiros vítimas de HIV e também àqueles que possuem problemas renais crônicos, tuberculose, hanseníase e câncer.


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

História da saúde no Brasil, Luiz Antonio Teixeira, Tânia Salgado Pimenta e Gilberto Hochman (2018) - https://amzn.to/2Qbs9pl

História da saúde no Rio de Janeiro: instituições e patrimônio arquitetônico (1808-1958), Ângela Porto, Gisele Sanglard, Maria Rachel Fróes da Fonseca e Renato da Gama-Rosa Costa (2008) -  https://amzn.to/2rLvUIE 

Cambridge - História da Medicina, de Roy Porter (2008) - https://amzn.to/3eISrcl

Doenças que mudaram a história, de Guido Carlos Levi (2018) - https://amzn.to/2VKFQhp

A grande mortandade, de John Kelly (2011) - https://amzn.to/2vsqnZa

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du