Matérias » Personagem

Como uma postagem no Facebook reuniu pai e filho que não se encontravam há 30 anos

Everaldo, de 51 anos, já procurava por seu progenitor desde os 27, e recentemente a internet conseguiu dar um empurrão final para que o reencontro acontecesse

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 18/05/2021, às 17h22

Fotografia de Everaldo com seu pai, o senhor Geraldo
Fotografia de Everaldo com seu pai, o senhor Geraldo - Divulgação / Arquivo Pessoal

Na terça-feira passada, 11, uma postagem nas redes sociais proporcionou um final feliz para uma busca que já durava 24 anos. A publicação foi postada na página do Facebook chamada “Aconteceu em Bertioga”, e escrita por Eliana Almeida Nascimento

A mulher de 48 anos redigiu a mensagem em uma tentativa de ajudar seu marido, Everaldo Germano do Nascimento, hoje com 51 anos, a reencontrar o pai que já não via desde os 14, separação ocasionada por conta do divórcio de seus pais e sucessivas mudanças de cidade.  

A esposa dedicada, que havia descoberto recentemente que o sogro morava na cidade litorânea de Bertioga, em São Paulo, postou alguns dados a respeito do senhor que poderiam ajudar a identificá-lo, tais como seu nome, sua idade, e uma foto de quando ele era mais novo. 

Um outro detalhe interessante da publicação foi que um dos internautas, chamado Sidney Silva, fez a gentileza de passar a fotografia antiga por um editor de fotos que envelhecia rostos para ajudar as pessoas a visualizarem como seria a aparência do idoso atualmente. 

Montagem mostrando, à esquerda, fotografia postada por Eliana, e, à direita, a fotografia editada pelo internauta / Crédito: Divulgação/ Arquivo Pessoal

 

Para a surpresa de Eliana, começaram a aparecer comentários de várias pessoas dizendo que sim, conheciam Geraldo Serafim do Nascimento - inclusive, ficou claro que ele era uma figura muito querida da área. Um dos usuários também comentou que o apelido dele era “Geraldo do mato”, o que se mostrou posteriormente uma referência ao fato que ele mora em um rancho. 

Foi assim que, após décadas sem contato, o idoso de 73 anos e seu filho primogênito puderam se rever. De acordo com o que foi repercutido pelo G1, o encontro emocionante ocorreu no último sábado, 15. 

Separação

Everaldo ainda explicou ao veículo que o afastamento começou com o divórcio de seus pais. A família era então do estado da Paraíba, na Região Nordeste do país, porém após o fim do matrimônio, cada um foi para um lado. 

Geraldo Serafim se mudou para Guarujá, em São Paulo, e a figura materna foi para o Rio de Janeiro levando os filhos. Posteriormente, ela ainda deixou os menores sob os cuidados de diferentes parentes. 

Everaldo, por exemplo, ficou na casa de sua avó, e conseguiu visitar seu pai ainda algumas vezes antes de perder o contato definitivamente. Foi mais tarde em sua vida, quando tinha 27 anos e já tinha formado sua própria família na capital paulista, que decidiu procurar por seu progenitor. 

Final feliz 

A realização do sonho de décadas foi acompanhada não só por familiares, mas também por outras pessoas da região que tem apreço por Geraldo. Eles perguntaram quem eram os filhos do aposentado, ao que ele citou o nome de Everaldo e de seus irmãos. Foi então que foi revelado para o idoso que quem estava na sua frente era seu primogênito, ao que o senhor avançou para abraçá-lo enquanto o grupo comemorava o momento. 

"O que me marcou foi o abraço que ele deu. Quando perguntei se ele tinha irmão, ele disse o nome, e quando perguntei o nome dos filhos, ele falou de todos nós. O rapaz [que acompanhava o idoso] falou que eu era o filho mais velho, ele largou tudo que estava na mão e me abraçou. Nunca tive um abraço igual a esse, um abraço de um pai que sentiu a ausência do filho por anos", contou o homem em entrevista ao G1. 

Veja o vídeo que registrou o momento abaixo: 

A responsável por conseguir que o encontro acontecesse, Eliana, também deu algumas palavras ao veículo, comentando que seus filhos finalmente tiveram a oportunidade de conhecer seu avô.  

Depois do reencontro, a família recém-reunida foi ter um almoço de celebração. “Não vamos ficar vivendo de passado, vamos viver daqui pra frente, tirar o atraso daquilo que a gente não pôde ter, de convivência, de abraço", concluiu Everaldo.

Ele e sua esposa puderam observar ainda que o senhor vivia em condições bem humildes, de forma estavam já planejando levar Geraldo para morar com eles por algum tempo.