Matérias » Brasil

Desmaio e revolta: Quando impostores do Patati e Patatá causaram tumulto na Bahia

Há onze anos, os moradores do Paripe protagonizaram quebra-quebra e choro no episódio bizarro

Wallacy Ferrari Publicado em 09/01/2022, às 08h00

Montagem com a dupla de palhaços e criança chorando em reportagem
Montagem com a dupla de palhaços e criança chorando em reportagem - Divulgação / YouTube / Bandeirantes

Em 20 de dezembro de 2011, uma reportagem da TV Bandeirantes denunciava um alvoroço no subdistrito de Paripe, em Salvador, na Bahia, marcando para sempre a região.

Dias antes, uma apresentação da dupla de palhaços Patati & Patatá não apenas estava agendada na principal casa de shows da região, o Paripe Hall, mas também havia vendido centenas de ingressos aos munícipes.

Com a cobertura do episódio no programa Brasil Urgente, a dupla era falsa, constatado pelo público que foi até o local da apresentação somente na mesma tarde onde o evento ocorreria, após 6 horas de atraso, quando o ginásio estava próximo de sua lotação máxima.

Os boatos ao redor da cidade chegaram na delegacia local, que informou a população, já com ingresso em mãos, que um representante oficial da dupla embargou a apresentação após constatar o uso indevido de marca pelos contratados.

Com o cancelamento, o caos estava instaurado; a estrutura, montada pelos farsantes com decorações temáticas foi completamente destruída, iniciando um protesto nas ruas soteropolitanas com o desespero de crianças e pais desamparados após o pagamento.

Paripe Hall pouco antes da confirmação do cancelamento / Crédito: Divulgação / YouTube / Canal 'Jennifer Hudson Fãs Do Brasil'

 

Virando meme

A cobertura dada pela emissora não apenas denunciou o tumulto que se concentrava em frente ao ginásio como mostrou diversas cenas de crianças chorando aos berros, pais indignados e até mesmo em populares revoltados com o suposto produtor na porta da delegacia, chegando a registrar uma pessoa desmaiando.

Os habitantes reclamavam por ter adquirido ingressos nos valores de R$ 10 e R$ 15 para um evento falso, além de puxarem o quimérico coro: "Queremos meu dinheiro!" (sic). Uma popular, claramente abalada, chegou a dizer ao repórter que não acreditava que Patati & Patatá eram os autores daquela “palhaçada”.

A equipe também teve acesso ao representante da dupla original, que informou aos policiais a farsa e acrescentou que já havia notificado a dupla sobre a proibição de atuar sem a licença da marca, tomando ciência do caso após uma das moradoras ligarem para o escritório paulista da produtora que organiza os espetáculos com a dupla.

Resolução do caso

O show realmente não ocorreu, mas a dupla verdadeira, que se apresentaria em outra cidade do país, tentou negociar a ida ao local, sem sucesso, como disseram em entrevista à Bandeirantes no aniversário de 10 anos da reportagem amplamente comentada, com os palhaços em Salvador para uma temporada de dez apresentações.

Na ocasião, o Brasil Urgente se dispôs a localizar algum dos entrevistados para finalmente acompanhar a apresentação de Patati & Patatá, sem sucesso. Alguns deles foram entrevistados pelo jornal Correio 24 Horas, acrescentando que, até hoje, não receberam ressarcimentos ou apresentações substitutivas.