Matérias » Reino Unido

Embriaguez e orgias: as reuniões dos Clubes do Inferno, que aconteciam dentro da Abadia de Medmenham

A organização secreta, composta por pessoas da alta sociedade britânica, era cercada de lendas, que envolviam até mesmo cultos satânicos e rituais de magia negra

Isabela Barreiros Publicado em 05/04/2020, às 12h00

A Abadia de Medmenham, no Reino Unido
A Abadia de Medmenham, no Reino Unido - Wikimedia Commons

Na Idade Média, muitas abadias foram fundadas na Inglaterra. Lar de muitos monges, os locais eram conhecidos por manter estudos sobre a fé cristã, normalmente católica. Na vila de Medmenham, localizada no condado de Buckinghamshire, não foi diferente. Antes do século 18, a Abadia de Medmenham não era famosa, permanecendo apenas uma instituição monástica comum.

A Ordem Cisterciense que ocupava o local levava uma vida tranquila, sem eventos históricos que marcassem sua existência. Em 1200, eles foram reconhecidos por uma Carta Real. Mas, nos séculos seguintes, permaneceram quase à parte do que acontecia no mundo, reconhecendo apenas o que acontecia ali na pequena região.

No entanto, isso mudaria a partir do momento que monges deixaram de viver no local, com sua expulsão em 1536. Isso aconteceu no momento em que o rei Henrique VIII rompeu com Roma e passou a dissolver os mosteiros já existentes. Obviamente, nesse processo, os primeiros a serem extinguidos foram os menores — o de Medmenham pertencia a essa categoria.

Quando foi desocupada, a abadia foi novamente vendida e, nos anos seguintes, mudou de várias mãos. Depois de alguns séculos, ela viria a se tornar famosa, porém, por nada ligado a religiosidade — até mesmo pelo contrário. A Abadia de Medmenham viria a se tornar em uma base dos conhecidos Clubes do Inferno.

A igreja de Medmenham, no Reino Unido / Crédito: Wikimedia Commons

 

Foi o ilustre Sir Francis Dashwood o responsável por estabelecer o “clube” no local. Membro da classe alta inglesa, ele recebeu o local como herança e decidiu instalar a organização da qual fazia parte no mosteiro — uma decisão ousada.

O fato mais insólito do grupo, fundado mais ou menos entre 1740, é que ele era secreto, ou seja, tudo o que sabemos sobre ele não passa de suposição ou mitos de pessoas que tentavam entender o que se passava dentro da abadia em Medmenham. As atividades permanecem um mistério, mas, por meio dos boatos e da imaginação da população da região, foi possível investigar os motivos que teriam unido vários homens naquele local.

O que se presume sobre as reuniões é que elas normalmente incluíam grandes bebedeiras e orgias sexuais. O objetivo seria nada mais nada menos que a pura devassidão — a embriaguez e o sexo deveriam ser praticamente a regra do grupo.

Acredita-se que Dashwood escolheu o local por ele ser muito isolado, tornando-se, assim, o lugar ideal para que eles pudessem realizar tais reuniões sem o medo de serem descobertos por outras pessoas. Isso não deu muito certo, visto que os Clubes do Inferno ficaram famosos em todo o Reino Unido.

Sir Francis Dashwood / Crédito: Wikimedia Commons

 

Além da devassidão, alguns relatos afirmam que a organização tinha práticas consideradas contra a religião que era pregada naquele local poucos séculos antes. Falsas cerimônias religiosas, onde membros do clube fingiam ser monges, suspostamente eram realizadas.

Mas mais que isso, outros mitos mais graves sobre as atividades surgiam na época. Muitas pessoas acreditavam que cultos satânicos e rituais de magia negra eram realizados na vila, o que fez com que eles se ficassem cada vez mais afastados da sociedade. Uma lenda muito comum era de que as prostitutas que iam até o local eram vestidas de freiras e recebiam a tarefa de agradar os “monges”. É preciso lembrar, porém, que isso está em um contexto de boatos.

O grupo permaneceu o local até por volta de 1760. Dashwood considerou que o local provavelmente não seria o melhor para abrigar as reuniões, transferindo sua base para as cavernas de West Wycombe. Depois disso, a Abadia de Medmenham tornou-se uma propriedade privada. Em 2015, ela foi colocada à venda por 10 milhões de libras (por volta de 65 milhões de reais).


+ Saiba mais sobre o período histórico por meio das obras disponíveis na Amazon:

Henrique VIII, William Shakespeare (e-book) - https://amzn.to/338uRQq

As seis mulheres de Henrique VIII, Antonia Fraser (2009) - https://amzn.to/2Ns4qOY

Os Ultimos Dias de Henrique VIII Conspirações, traições e heresias na corte do rei tirano, Robert Hutchinson (2010) - https://amzn.to/2oH0YHY

The Case of the Tudor Queen: A Ludovic Travers Mystery (English Edition), Christopher Bush (e-book) - https://amzn.to/326Lfj1

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du