Matérias » Entretenimento

A gravação de “Cavalo de Guerra” quase matou Steven Spielberg

As filmagens da obra de 2011 foram difíceis com as condições em volta, quase resultando numa tragédia

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 16/10/2021, às 08h00

Cena do filme "Cavalo de Guerra" de 2011
Cena do filme "Cavalo de Guerra" de 2011 - Divulgação/DreamWorks Pictures e Divulgação/Youtube

Steven Spielberg é um dos maiores diretores do mundo, sendo a cabeça por trás de grandes títulos e clássicos como “Tubarão” (1975), “E.T. O Extraterrestre” (1982) e “Jurassic Park - Parque dos Dinossauros” (1993) — inegavelmente marcando a cultura pop como poucas pessoas já fizeram.

No entanto, um dos filmes que marcou sua carreira de uma maneira quase letal que não se repetiu em nenhum outro anteriormente ou posteriormente a ele. 

“Cavalo de Guerra” de 2011, além de um dos muitos grandes sucessos de Spielberg, é um filme extremamente emocional, que levou ao público uma linda história de amizade. 

Na narrativa, é apresentado o laço entre um cavalo e um menino durante os tempos turbulentos da Primeira Guerra Mundial. No entanto, o diretor passou por um intenso perrengue durante as gravações, que quase resultaram em sua morte. 

Cavalo de Guerra: Diretor em violento perigo

Steven Spielberg em Premiação - Foto: Getty Images

 

A obra cinematográfica retrata um momento extremamente perigoso da história humana, especificamente a Primeira Guerra — que durou entre 1914 a 1918. Diante do cenário e o realismo acoplado a “Cavalo de Guerra”, cenas durante batalhas e momentos de violenta periculosidade eram necessários dentro do filme.

Além disso, algumas das gravações ocorreram em outubro de 2010 no sul da Inglaterra, durante o outono da região. Com constantes chuvas, intenso frio e grandes tempestades, a filmagem de “Cavalo de Guerra” não foi nada fácil, sendo marcada por dificuldades e experiências acidentais.

No entanto, o momento de maior perigo quase causou a morte do diretor Steven Spielberg. Isso porque ele quase se afogou dentro de uma das trincheiras do filme.

Em entrevista ao Hollywood Reporter sobre esse acontecimento quase letal e toda a tribulação em volta dele, Steven Spielberg contou: “Estava caminhando com o viewfinder e do nada eu desapareci. Era um buraco cavado para cargas explosivas e a tempestade havia levado os cones de aviso e enchido a trincheira”.

Quanto ao seu resgate miraculoso, o diretor de Cavalo de Guerra detalhou o tenso momento: “Eu estava totalmente afundado em água congelante. Levantei minhas duas mãos para cima de minha cabeça e dois grandes punhos me puxaram para cima”.

Outros apertos e o sucesso que fez tudo valer a pena

Cena de 'Cavalo de Guerra' de 2011 - Foto: Divulgação / DreamWorks Pictures

 

A gravação no sul britânico não foi realizada sem dificuldades para os atores, produção ou até para o diretor.

Kathleen Kennedy, uma das produtoras de Cavalo de Guerra e de Alma de Herói (2003), falou na mesma entrevista sobre o desafio que o departamento responsável pelos cavalos tinha durante as gravações. "Haviam de 200 a 300 pessoas. Às vezes você tinha tantos quanto 180 a 280 em uma cena só".

Segundo Kennedy, os campos se enchiam de pessoas que cuidariam dos cavalos, com alimentação, veterinários, além de celeiros portáteis de maneira que os animais tivessem onde descansar.

No entanto, tudo acabou valendo a pena para criar um filme que — com toda sua emoção e temas tocantes — recebeu aclamação intensa da indústria cinematográfica.

“Cavalo de Guerra” acabou ganhando treze indicações a importantes prêmios, com seis ao Oscar, duas ao Globo de Ouro e cinco ao Bafta.