Matérias » Família real britânica

A perturbadora dúvida de Philip antes de se casar com Elizabeth II

O Duque de Edimburgo passou por momentos agoniantes antes de se casar com a rainha da Inglaterra, em 1947

Alana Sousa Publicado em 02/05/2021, às 07h00

Príncipe Philip e a rainha Elizabeth II, em junho de 1953
Príncipe Philip e a rainha Elizabeth II, em junho de 1953 - Wikimedia Commons

Uma cerimônia real, o mundo assistindo e mais de sete décadas de companheirismo: o casamento da rainha Elizabeth II e o príncipe Philip foi um dos mais longos que a corte pôde acompanhar.

A relação duradoura, de 73 anos, chegou ao fim em abril de 2021, quando o Duque de Edimburgo veio a óbito aos 99 anos de idade. Pela primeira vez, Elizabeth se viu sozinha; a monarca teve que enterrar o pai, a mãe, a irmã, a nora e, por fim, o marido.

Entre supostas traições e exclusão de Philip em assuntos do reino, o matrimônio jamais foi desfeito, uma forma de mostrar ao povo a estabilidade da família real. Desde aquele dia, 20 de novembro de 1947, o casal foi inseparável: viveram guerras, mortes de políticos, conquistas da humanidade e, finalmente, envelheceram lado a lado.

A rainha e seu marido, Philip / Crédito: Getty Images

 

Rodeada de mistério, são poucas as informações íntimas que temos sobre a relação de Elizabeth e Philip. Todavia, uma das mais instigantes era o apelido com o qual o príncipe se referia à amada, Lilibeth.

Contudo, ainda no início do matrimônio uma dúvida perturbava Philip. Assustado, o príncipe tinha questionamentos sobre seu futuro em meio aos membros de uma das monarquias mais importantes da Europa — e do mundo.

A dúvida de Philip

Philip e Elizabeth eram primos de terceiro grau, tataranetos da rainha Vitória, o que para o príncipe não significava que ele ocuparia um espaço relevante na corte da esposa. Retratado na série original da Netflix, The Crown, como um homem que se sentia excluído, parece que a trama não errou tanto ao apresentar o duque ao público.

Ao nascer, Philip recebeu o título de príncipe da Grécia e da Dinamarca, sua mãe, a princesa Alice de Battenberg havia se casado com o príncipe da Grécia, Andrew. Porém, fantasmas do passado rodeavam sua família.

Elizabeth e Philip durante cerimônia de casamento / Crédito: Divulgação/ Royal.uk

 

Suas irmãs eram casadas com membros do alto escalão do Partido Nazista, o que preocupava Philip. Sendo assim, nenhuma delas foi convidada ao casamento real e, para não prejudicar a monarquia inglesa, o príncipe renunciou seus títulos ao selar matrimônio com a soberana.

Em entrevista ao Daily Mail, repercutida pelo portal UOL, o biógrafo Gyles Brandreth, falou sobre o que atormentava a mente de Philip até o momento de subir no altar. “Na manhã de seu casamento, logo após o café da manhã, Philip perguntou a Patricia Mountbatten [prima dele]: 'Estou sendo muito corajoso ou muito tolo?'”, disse o autor.

A prima Patricia foi testemunha dos pensamentos agoniantes do príncipe. “Ele não tinha certeza, não sobre se casar com a princesa Elizabeth, mas sobre o que o casamento significaria para ele. Ele pode ter tido suas dúvidas sobre onde estava se metendo — toda a história de se casar com a filha do rei da Inglaterra”.

Elizabeth e Philip no dia da coroação / Crédito: Getty Images

 

Embora tenha enfatizado que o primo “amava profundamente” Elizabeth, sua posição na realeza sempre fora difícil, algo que talvez a monarca tenha sido conivente. Ao entrar para a realeza, a vida de Philip se transformou completamente, enquanto os membros viviam sem validar sua presença.

“Eles não gostavam dele, não confiavam nele, e isso era evidente. Não tenho certeza se a princesa Elizabeth notou. De certa forma, o casamento quase não mudou sua vida. A vida dele mudou completamente”, relatou a mulher, de acordo com Brandreth.

O sentimento de Elizabeth, no entanto, era verdadeiro. Ao ver o marido partir, teve que encarar mais uma vez o luto, o que Andrew, filho da rainha, afirmou ter deixado “um grande vazio” na monarca.


+Saiba mais sobre a monarquia britânica com as obras abaixo:

Vitória, a rainha: Biografia íntima da mulher que comandou um Império, Julia Baird (2018) - https://amzn.to/2Y80QOZ

Elizabeth I - O Anoitecer de um Reinado, Margaret George (2012) - https://amzn.to/37YWSg4

História concisa da Grã-Bretanha, W. A. Speck (2013) - https://amzn.to/2qcqSnA

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du