Santos Dumont em filmes, livros e museus

Santos Dumont em filmes, livros e museus

Fernanda Nogueira de Souza Publicado em 01/09/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

CINEMA

E o homem voou

O documentário O Homem Pode Voar – que estreou nos cinemas de São Paulo, Rio e Brasília em agosto e foi lançado em DVD pela Aventuras na História – fala do papel de Santos Dumont no desenvolvimento da aviação. Todas as imagens do filme, dirigido por Nelson Hoineff, são registros reais feitos no início do século 20 e resgatados em acervos iconográficos. Segundo o roteirista Henrique Lins de Barros, a história é contada de maneira não linear para mostrar a complexidade da época com todas as suas nuanças. “Não havia só Dumont, mas um número grande de inventores, tentando criar objetos voadores capazes de decolar, seguir uma direção e pousar por meios próprios.” A música, parte composta e outra parte orquestrada especialmente para o filme de 75 minutos, é de David Tygel.

DVD

Dicas de aviadores

Veja quais são os filmes prediletos de quem entende do assunto:

Marcos Pontes, primeiro astronauta brasileiro: “Top Gun - Ases Indomáveis é daqueles filmes unânimes. Todo mundo gosta. Adoro, principalmente, pelas cenas de manobras que aparecem. São muito bem-feitas.”

Nome original: Top Gun (1986)

Diretor: Tony Scott

Sinopse: é a história do jovem e talentoso piloto Pete ‘Maverick’ Mitchell, interpretado por Tom Cruise.

Henrique Lins de Barros, físico e roteirista: “Esses Homens Maravilhosos e Suas Máquinas Voadoras é delicioso. Pega bem o espírito da época e a trama é muito bem costurada.”

Nome original: Those Magnificient Men in Their Flying Machines or How I Flew from London to Paris in 25 hours 11 minutes (1965)

Diretor: Ken Annakin

Sinopse: nos primeiros dias do século 20, um jornal britânico oferece um prêmio para o ganhador de uma corrida aérea entre a Inglaterra e a França.

Fernando Brandão, pára-quedista e diretor de relações institucionais da Associação Brasileira das Aeronaves Antigas e Clássicas (ABAAC): “Num Céu Azul Escuro é um dos filmes mais lindos que já vi. Tem cenas muito boas de aviação e uma fotografia maravilhosa. Os detalhes técnicos também são fantásticos.”

Nome original: Tmavomodrý svet (2001)

Diretor: Jan Sverák

Sinopse: com o início da Segunda Guerra, dois amigos que vivem na Tchecoslováquia se juntam à aeronáutica britânica para combater o exército nazista. Quando retornam a seu país natal, após o fim da guerra, são presos por serem considerados anticomunistas.

LIVROS

Santos-Dumont – Um Herói Brasileiro

Antônio Sodré - Arindiuva Editora - R$ 29

O advogado Antônio Sodré teve a idéia de escrever este livro há cinco anos, quando seu irmão, o aviador Ruy Sodré, resolveu construir uma réplica do avião Demoiselle, apontado como o primeiro avião a ser produzido em série no mundo. Com base em entrevistas com médicos, o livro afirma que a doença que abateu Santos Dumont foi uma depressão profunda, que também teria sido motivo do suicídio da mãe e de dois sobrinhos do aviador.

Santô e os Pais da Aviação

Spacca - Cia das Letras - R$ 41

Este livro do cartunista Spacca é uma biografia romanceada em quadrinhos. De forma bem-humorada, conta a história da corrida frenética de inventores do início do século 20 que queriam descobrir uma forma de voar. “Com o tempo e as pesquisas, fui me convencendo de que o avião foi uma espécie de invenção coletiva e que os pioneiros se influenciaram mutuamente”, diz Spacca.

Santos Dumont - Bandeirantes dos Ares e das Eras

Homero Pimentel e Paulo Urban - Editora Madras - R$ 38,90

O livro tenta resgatar o sentido da alma nacional, explorando aspectos fundamentais da vida do pai da aviação. Diferentemente de outras obras que se concentram na pesquisa de fatos, este livro procura explorar o mundo psicológico do inventor brasileiro. É uma tentativa de explicar o que levou Santos Dumont a cometer suicídio. Os autores também discutem o que leva alguns a insistir em atribuir aos irmãos americanos Wright a invenção do avião.

O Jovem Santos-Dumont

Lauret Godoy e Guca Domenico - Nova Alexandria - R$ 29

Esta biografia romanceada narra a história do filho de fazendeiro de café que, desde menino, se interessava em saber como as coisas funcionavam. Era a ele que os empregados da fazenda recorriam quando tinham problemas com qualquer máquina. O livro diz que o aviador era chamado carinhosamente pelos parisienses de “Le Petit Santos”, mas que, apesar de baixinho, era um grande herói por seu talento, genialidade e generosidade.

Santos-Dumont

Nereide Schilaro - Santa Rosa - Editora Callis - R$ 16

Parte da coleção “Crianças Famosas”, dirigido ao público infanto-juvenil, este livro relata que o menino Dumont era apaixonado por máquinas, engrenagens, pipas e balões. Desde pequeno, Dumont sonhava em voar e acreditava que isso seria possível. A obra procura despertar nas crianças o gosto pela imaginação, mostrando que foram os sonhos do inventor que o levaram a tornar-se uma das personalidades mais importantes do Brasil e do mundo.

Conexão Wright Santos-Dumont

Salvador Nogueira - Editora Record - R$ 42,90

O autor, que é jornalista, propõe-se neste livro a contar “a verdadeira história da invenção do avião”. Fugindo do estilo acadêmico, utiliza a narrativa romanceada para tentar responder a uma velha pergunta: afinal, quem inventou o aeroplano? Foram os irmãos Wright ou Alberto Santos Dumont? O livro conta todo o processo que levou à invenção do avião, deixando de lado qualquer sentimento nacionalista.

MUSEUS

Berço de Santos Dumont

Conhecido como “Casa de Cabangu”, o Museu Casa Natal de Santos Dumont fica a 16 quilômetros do centro da cidade de Santos Dumont, no alto da Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais. O aviador viveu no local durante seus dois primeiros anos de vida, de 1873 a 1875, e de 1919 a 1926. Nesta segunda passagem pela casa, levou uma vida de fazendeiro. Criava gado e vendia leite para os fabricantes de queijo da região. “Nós apresentamos o cidadão comum por trás do herói da aviação”, diz Mônica Castelo Branco, coordenadora do museu.

Estão expostas na casa correspondências, fotografias e objetos dele e da família. Há também três construções anexas. A primeira conta a história do 14 Bis, tem uma réplica pequena do avião e o motor original de um dos balões projetados pelo inventor. A segunda mostra a vida de Santos Dumont e a evolução de seus estudos na França em fotografias dispostas de forma cronológica. A terceira é um pavilhão sobre a vida da pioneira da aviação Anésia Pinheiro Machado, amiga de Dumont que, antes de morrer, em 1999, disse que gostaria que seu acervo ficasse junto ao dele.

Museu Casa Natal de Santos Dumont

Endereço: BR 499 - Km 16, Santos Dumont, MG, tel. (32) 3251-3646

Visitas: aberto diariamente das 8h30 às 17h, com monitores na parte da tarde

Ingressos: entrada gratuita

Vida encantada

Construída no antigo Morro do Encanto, a casa de Santos Dumont, em Petrópolis (RJ), foi projetada por ele para servir de residência de verão e é uma marca da excentricidade do aviador. O chalé em estilo francês tem três pavimentos, todos compactos, planejados para abrigar uma pessoa só. O primeiro era uma pequena oficina, o segundo servia como sala de estar e jantar e o último era escritório e dormitório ao mesmo tempo. Há também um mirante que servia de observatório astronômico.

A casa não tem cozinha, já que o inventor fazia todas as suas refeições num hotel próximo.

O acesso a todos os andares é feito por uma escada recortada em forma de raquete, que obriga os visitantes a sempre começar a subir com o pé direito. No banheiro, um sistema inventado por Santos Dumont misturava água fria e quente num balde que fazia as vezes de um chuveiro. Além disso, há documentos e objetos que o aviador usava quando se hospedava no local, como chapéus e maquetes de aviões. ::

A Encantada

Endereço: Rua do Encanto, 22, Petrópolis (RJ), tel. (24) 2247-3158

Visitas: terça a domingo, das 9h30 às 17h, com visita guiada

Ingressos: R$ 3,00