Curiosidades » Idade Moderna

10 coisas que você não sabia sobre Maria Antonieta

Burros de estimação, uma fazenda de brinquedo e perdão ao seu carrasco: desses fatos sobre a rainha, pouca gente ouviu falar

Joseane Pereira Publicado em 02/01/2020, às 10h03

Retrato de Maria Antonieta (1755-1793)
Retrato de Maria Antonieta (1755-1793) - Wikimedia Commons

10. Maria Antonieta se casou com apenas 14 anos

Casamento real / Crédito: Wikimedia Commons

 

Como peões em um jogo de xadrez, Antonieta e Luís Augusto se casaram para selar a união entre dois países em desacordo: França e Áustria. O casamento ocorreu em 19 de abril de 1770, e o irmão de Maria Antonieta substituiu seu noivo, que tinha apenas 15 anos. Em 16 de maio, o casamento oficial ocorreu no Palácio de Versalhes.

9. Ela era uma mulher generosa

De acordo com o senso comum, Antonieta detestava os pobres e agia de forma muito rígida. Entretanto, há quem diga o contrário: ela teria fundado um lar para mães solteiras, visitava e dava alimentos a famílias pobres e, durante a fome de 1787, vendeu talheres reais para comprar grãos aos necessitados.

Além disso, lendas afirmam que ela teria auxiliado um produtor de vinho atingido por sua carruagem, pagando pelos cuidados médicos e ajudando sua família até que ele pudesse voltar ao trabalho.

8. Seus gastos não foram a maior causa da Revolução Francesa

Crédito: Wikimedia Commons

 

Outra ideia fácil de propagar é a de que os gastos exorbitantes de Antonieta, assim como sua alienação com relação aos problemas do povo, foram o estopim para a queda da Bastilha.

Acontece que o país já enfrentava problemas estruturais, agravados pelo auxílio em dinheiro que Luís XVI enviava ao Novo Mundo para apoiar a Revolução Americana. Lendas sobre a extravagância de Antonieta eram comumente destinadas às amantes reais; mas, já que o rei não tinha amantes, as acusações iam direto para ela.

7. Ao invés de cavalos, Maria Antonieta andava em burros

Para acompanhar o marido em caçadas, Antonieta foi orientada a cavalgar em burros calmos e dóceis, considerados menos perigosos que cavalos pela sua escolta real. Entusiasmada, ela organizava caminhadas na floresta três vezes por semana, acompanhada de seu burrinho.

6. Ela tinha uma fazenda camponesa em Versalhes

Este era realmente um gasto extravagante. A rainha era detentora da réplica de uma fazenda camponesa, onde ela e seus amigos se vestiam como pastores e brincavam como agricultores pobres. Brincadeira que ia além dos limites, o Le Petit Hameau (O Pequeno Hamlet) foi construído em 1783, e a maior diferença entre ele e fazendas comuns era que seu interior tinha ares de aposento real.

5. Maria Antonieta amava crianças

Crédito: Wikimedia Commons

 

Antonieta e Luís XVI tiveram quatro filhos: Maria Theresa em 1778, Luís José em 1781, Luís Carlos em 1785 e Sofia em 1786. Sofia morreu antes de seu primeiro aniversário, e Luís José faleceu aos sete anos, provavelmente de tuberculose. Além deles, Antonieta também teve várias crianças adotivas, como a filha de uma empregada falecida e os três filhos de um funcionário que também morreu. 

4. Ela nunca disse “se não querem pão, que comam brioches”

A rainha guilhotinada nunca chegou nem perto de dizer algo assim. Quem a conhecia afirmou uma preocupação com a situação do povo. A citação foi retirada das Confissões de Jean-Jacques Rousseau, um dos grandes inspiradores da Revolução Francesa, morto em 1778 - 11 anos antes do começo do movimento. No livro, Rousseau menciona que uma princesa, cujo nome não é citado, teria dito essas palavras ao ver o povo faminto.

3. A rainha poderia ter sido resgatada

Após a execução de seu marido, Maria Antonieta recebeu uma visita interessante. Seu amigo Alexandre Gonsse de Rougeville deixou dois cravos na cela onde ela estava, ocultando notas que poderiam ser utilizadas para subornar os guardas. Entretanto, na noite da fuga, um dos guardas subornados acabou frustrando seu plano de liberdade.

2. Antonieta pediu perdão a um de seus carrascos

Embora tenha vivido de maneira luxuosa, as últimas palavras da rainha foram muito humildes. A caminho da guilhotina, que faria sua cabeça rolar dentro de poucos minutos, ela acabou tropeçando no pé do carrasco e dizendo: “Perdoe-me, senhor. Eu não pretendia fazer isso”.

1. Seu corpo foi enterrado em uma cova sem identificação

Em 16 de outubro de 1793, o corpo de Maria Antonieta foi jogado em uma vala comum no cemitério Madeleine. Em 1815, após a queda de Napoleão Bonaparte e com a Restauração Bourbon, os corpos de Antonieta e Luís XVI foram exumados e enterrados na Basílica de St. Denis. Seus restos mortais se encontram lá até os dias de hoje.


+Saiba mais sobre a última rainha da França através de importantes obras

Maria Antonieta, de Antonia Fraser (2006) - https://amzn.to/33G9ohl

Maria Antonieta - última rainha da França, de Evelyne Lever (2004) - https://amzn.to/2OZB25b

Rainha da moda: Como Maria Antonieta se vestiu para a Revolução, de Caroline Weber (2008) - https://amzn.to/2BiMdh2

Maria Antonieta: o Escândalo do Prazer, de Claude Dufresne (2007) - https://amzn.to/31iEIBd

Maria Antonieta: Retrato de uma mulher comum, de Stefan Zweig (2013) - https://amzn.to/31hcG9v

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.