Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Curiosidades / Minha Amiga Palma

Minha Amiga Palma: Veja a história real que inspirou o filme

Em Minha Amiga Palma, o público confere a emocionante história de uma cadela chamada Palma, abandonada em um aeroporto

por Thiago Lincolins

tlincolins_colab@caras.com.br

Publicado em 29/01/2024, às 12h34 - Atualizado em 30/01/2024, às 19h41

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Palma: Ficção e realidade - Divulgação e Alexander Opryshko/Central Studio for Documentary Film, 1978
Palma: Ficção e realidade - Divulgação e Alexander Opryshko/Central Studio for Documentary Film, 1978

Uma cadela vê tudo mudar quando é abandonada por seu dono em um aeroporto. Em seguida, desenvolve uma amizade com Nicholas, um garoto de nove anos que perdeu a mãe e passa a viver com o pai, um piloto que se comoveu com o animal. 

Esta é a sinopse do filme Minha Amiga Palma. Lançado em 2021, o longa foi exibido pela TV Globo na última segunda-feira, 29. No entanto, o que muitos podem não saber é que a produção é inspirada por uma tocante história real, que você confere abaixo!

A verdadeira história do cão se passa em 1974 no aeroporto Vnukovo, localizado em Moscou, na Rússia, explica o site Russia Beyond. Na ocasião, um dos passageiros que embarcaria num avião Ilyushin IL-18 com destino à Norilsk, encontrou obstáculos com a sua cadela, que não tinha certificado de vacinação. Assim, não poderia embarcar ao lado do dono.

Em seguida, o passageiro tirou a guia do animal, que passou a correr na pista do aeroporto. O que, para a cadela, parecia um momento de diversão logo se mostrou um pesadelo: ela foi abandonada pelo dono. Assim, o aeroporto se tornou seu lar durante dois anos.

Falsa esperança

Vivendo no local, a cadela passou a perseguir os aviões Ilyushin IL-18. Afinal, em um deles poderia desembarcar o seu tutor. A história instigou pilotos e funcionários do aeroporto, que passaram a cuidar do pobre animal.

O nome 'Palma', inclusive, carrega uma história curiosa. Ao tentar adivinhar o nome do animal, tentaram diferentes opções. A cadela, entretanto, passou a responder por 'Alma', que se transformou em 'Palma'. 

Cena do filme 'Minha Amiga Palma' - Divulgação

A saga de Palma ganhou desdobramentos quando Vyacheslav Valentey, um piloto, decidiu levar a história para o jornal Komsomolskaya Pravda. Intrigado com o que recebeu, o jornalista Yuri Rost decidiu conferir de perto. 

"A rigor, o fato de o cão correr pelo aeródromo era uma violação de todas as regras de segurança, mas Palma comportou-se com cuidado e, além disso, o pessoal do aeródromo protegeu-a. Só depois de um tempo ficou claro porque o cachorro estava esperando por “Ila”. Seu dono voou nesse avião e nunca mais voltou", explicou Rost em antiga entrevista. 

Quando a história foi publicada no jornal, a história causou ampla comoção com a manchete "Dois anos de espera". O artigo, inclusive, tentava encontrar o antigo dono de Palma. De acordo com Rost, o responsável pelo abandono da cadela escreveu ao veículo. 

"Ele voou para trabalhar no Norte, os problemas se acumularam, ele se confundiu e [a] esqueceu. Você sabe como isso acontece na vida. Primeiro - uma coisa, depois - outra. Novamente, todo mundo é diferente. Não excluo que o dono nem se lembraria do cachorro se não fosse a publicação no jornal", explicou ele.

Nova família

Enquanto o antigo dono não demonstrou interesse em buscar Palma, se iniciou a procura por uma família. A escolhida para mudar o destino triste da cadela foi uma professora, chamada Vera Kotlyarevskaya, que vivia em Kiev. 

Imagem do filme 'Minha Amiga Palma' - Divulgação

No entanto, não foi tão simples. Isso porque Palma, traumatizada, não deixava as pessoas se aproximarem. Ao tirar um mês de folga no trabalho, Vera passou a visitar a cadela diariamente, assim a conquistou aos poucos.

Vera relatou, segundo o Russia Beyond, que Palma não foi agressiva ou entrou em pânico quando levada para sua casa. No entanto, tentou fugir em uma oportunidade. Só passou a se sentir em casa depois de seis meses. Assim, ela aceitou a nova dona e recuperou a alegria.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!