Curiosidades » Estados Unidos

O caçador de cervos que foi obrigado a assistir Bambi na prisão

Durante caso ocorrido 2018, foi revelado que David Berry e sua família passaram quase uma década matando animais para pegar suas cabeças e chifres

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 17/07/2021, às 08h00

Cena da animação 'Bambi'
Cena da animação 'Bambi' - Divulgação/Disney

Em 2018, a Associated Press divulgou o caso de um juiz do estado norte-americano de Missouri que fez um adicional curioso à sentença de um homem que praticava caça ilegal de cervos.

Juntamente aos doze meses de prisão e ao pagamento de uma multa, a punição de David Berry Jr. incluiu assistir “Bambi” uma vez ao mês durante seu período encarcerado. 

O famoso filme infantil, que foi lançado em 1942, é considerado um dos clássicos da Disney. A obra narra a saga de um jovem cervo que tem sua mãe morta por um caçador. A história aborda o luto do veado no decorrer do seu crescimento e seus esforços de se adaptar à vida lidando com a ausência da figura materna. 

Bambi em filme / Crédito: Divulgação/ Youtube/ Panizza Filmes 

 

Crimes 

Por mais que a ordem específica recebida por David, que certamente tem o objetivo de tentar fazê-lo se colocar no lugar dos animais que matou, possa soar curiosa por seu método pouco ortodoxo, os atos que levaram o estadunidense ao tribunal graves.

"Ele abatia os cervos ilegalmente como troféus, principalmente à noite, por causa de suas cabeças, e largava os corpos apodrecendo", contou Don Trotter, que é um dos promotores públicos de Lawrence, condado onde o julgamento foi realizado, segundo repercutido pelo G1 naquele mesmo ano. 

Já de acordo com uma notícia do Washington Post também do mesmo período, as autoridades envolvidas no caso ainda comentaram que, apesar das infrações terem tido uma motivação financeira por trás, a questão do “ego” dos caçadores era também um outro grande fator. 

O jornal local Springfield News-Leader ainda divulgou que os profissionais envolvidos na conservação dos animais abatido haviam afirmado que aquele era “um dos maiores casos de caça ilegal de cervos na história do estado”. 

Fotografia de cervo adulto / Crédito: Divulgação/ Pixabay/ Antranias

 

A investigação que levou à captura do grupo levou nove meses para juntar todas as evidências que os incriminaram, e teve início quando a agência de conservação animal da região recebeu uma denúncia anônima a respeito da caça ilegal que vinha ocorrendo em Lawrence. 

Consequências 

O criminoso saía em suas caçadas acompanhado do pai, dois irmãos e outros ajudantes ocasionais, prática que já era mantida por eles por cerca de uma década, de acordo com o Washington Post. 

Os membros da família precisaram pagar uma multa que, somada, alcançou 51 mil dólares (ou o equivalente a 200 mil reais, seguindo o valor do dólar da época). 

David, seu pai e irmãos perderam também seus privilégios de caça, pesca e armadilha, de forma que não poderão mais praticar a atividade nem mesmo nos contextos em que ela é permitida. Alguns tiveram as licenças revogadas temporariamente, enquanto para outros a punição foi definitiva. 

Um outro detalhe do caso é que, não muito depois do grupo receber as punições da Justiça estadunidense como resposta às suas muitas infrações, Eric Berry, que é outro irmão de David que ainda não havia sido incriminado, foi flagrado atraindo a atenção de cervos na companhia de um outro caçador.