Curiosidades » Família real britânica

Por que Philip andou ao lado de Harry e William no funeral de Diana?

Uma das imagens mais famosas do cortejo fúnebre ao corpo de Lady Di mostra o Duque de Edimburgo ao lado dos netos, mas a presença do marido de Elizabeth não era esperada; entenda

Alana Sousa Publicado em 17/04/2021, às 08h00

Philip, William, Charles Spencer, Harry e Charles em cortejo no funeral de Diana, em 1997
Philip, William, Charles Spencer, Harry e Charles em cortejo no funeral de Diana, em 1997 - Divulgação

O mundo inteiro estava em luto após perder a tão amada Princesa de Gales, Diana. Após um acidente fatal em Paris, Lady Di veio a óbito aos 36 anos, deixando dois filhos adolescentes, Harry e William.

Embora fosse admirada pelo povo britânico, Diana já não fazia mais parte da família real britânica. Seu divórcio com Charles lhe tirara privilégios que apenas a corte de Elizabeth II podia oferecer; entre tantas regalias, a princesa também perdera o direto de ter um enterro real.

Ainda assim, o povo exigiu que Diana recebesse a homenagem que merecia. Após muito tempo de silêncio da rainha da Inglaterra, no dia 6 de setembro de 1997, aconteceu o funeral da Princesa de Gales.

Flores deixadas pela população britânica / Crédito: Wikimedia Commons 

 

Seu caixão fora coberto com o Estandarte Real do Reino Unido, as bandeiras nacionais hasteadas a meio mastro representavam o luto do país. Entre admiradores que derramavam suas mais sinceras lágrimas, o cortejo foi especialmente emocionante, contando com a presença dos filhos, do ex-marido Charles, do irmão Conde Spencer e, curiosamente, de Philip, o marido de Elizabeth.

Philip no funeral de Diana

Há muitos mistérios que rodeavam o relacionamento de Lady Di com seu sogro. Vários desses boatos surgiram após a morte da princesa, quando o pai do seu então namorado acusou Philip de estar por trás do acidente — tese que jamais foi provada.

Fato é que Diana e o Duque de Edimburgo trocavam cartas frequentes, na qual o marido de Elizabeth se mostrava ser contrário ao caso extraconjugal de Charles com Camilla Parker. Ainda assim, ambos não estavam próximos quando a princesa pereceu.

A relação distante não influenciou na vontade de Philip de mostrar apoio para os netos, William e Harry, na época com 15 e 12 anos, respectivamente. O duque ficou preocupado com o tratamento e exigências reais que estavam sendo depositadas nos meninos em luto.

Como lembra um ex-diretor de relações governamentais (que não foi identificado) em entrevista ao Evening Standard, repercutida pelo site Today, Philip teria gritado “Eles perderam a mãe”, durante uma reunião sobre o funeral. “Estávamos todos conversando sobre como William e Harry deveriam estar envolvidos e de repente veio a voz do príncipe Philip”, revelou o homem.

Entristecidos, Harry e, principalmente, William não queriam a princípio participar do cortejo fúnebre, que consiste em alguns membros da realeza caminhando atrás do caixão do falecido por alguns minutos.

O Duque de Edimburgo, então, se ofereceu para caminhar ao lado dos jovens príncipes. “Vou caminhar se vocês caminharem”, afirmara na época para William. Assim, Philip foi fotografado ao lado do filho mais velho de Diana no cortejo que durou cerca de 30 minutos.

Em 2017, em entrevista à News Week, Harry relembrou do episódio com pesar: “Minha mãe tinha acabado de morrer, e eu tive de fazer uma longa caminhada atrás de seu caixão, cercado de centenas de pessoas me assistindo, enquanto mais outras milhões assistiam na televisão. Eu não acho que crianças deveriam ter de participar disso, sob nenhuma circunstância. Eu não acho que isso aconteceria hoje”.

Sem dúvidas, a presença do avô foi reconfortante no momento delicado que é perder alguém próximo. A princesa Anne, filha de Philip, também comentou sobre a ocasião: “Era ele como avô... 'Se é isso que você quer fazer e se quer que eu esteja lá, eu estarei lá”, disse ela ao ITV britânico.


+Saiba mais sobre a família real britânica por meio de obras disponíveis na Amazon:

Diana. O Último Amor de Uma Princesa, de Kate Snell (2013) - https://amzn.to/2TgHgPO

The Queen: The Life and Times of Elizabeth II (Edição Inglês), de Catherine Ryan (2018) - https://amzn.to/2RhgNA7

God save the queen - O imaginário da realeza britânica na mídia, de Almeida Vieira e Silva Renato (2015) - https://amzn.to/2xTkiGd

O Amor Da Princesa Diana, de Anna Pasternack (2018) - https://amzn.to/2xOZ8c9

A história do século XX, de Martin Gilbert (2017) - https://amzn.to/2yFZMcv

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7