Coronavírus » Pandemia

Coronavírus: governo do Texas decreta a suspensão temporária de abortos

A fim de destinar mais leitos e equipamentos para as vítimas do Covid-19, outros estados do sul e centro do país adotaram a mesma medida

Nicoli Raveli Publicado em 01/04/2020, às 08h49 - Atualizado às 08h50

Imagem ilustrativa de mulher grávida
Imagem ilustrativa de mulher grávida - Pixabay

Recentemente, as autoridades americanas do Texas decretaram, em segunda instância, a decisão de suspensão temporária de abortos. De acordo com a justiça, a medida se deve ao surto do novo coronavírus, que exige cada vez mais leitos nos hospital e equipamentos destinados as vítimas.

Diversas unidades da região já haviam adotado a medida provisória de adiar qualquer cirurgia não emergencial. Agora, o procurador-geral Ken Paxton, ajustou novamente o pedido e incluiu que os abortos voluntários também serão adiados, exceto aqueles que oferecem risco a vida da paciente.

Inicialmente, a ordem foi recusada pelo juiz Austin, já que os defensores do ato interpretaram a medida como ideológica. Entretanto, nesta terça-feira, 31, o tribunal analisou novamente a proposta e decretou a suspensão provisória. A partir de agora, quem infringir a lei terá que pagar uma multa de mil dólares e permanecerá na cadeia por até 180 dias.

Após o anúncio, o Paxton elogiou o tribunal e afirmou que a decisão estabelece as corretas prioridades na distribuição de equipamentos de proteção. Além do Texas, outros estados do sul e centro do país adotaram a mesma medida.

Entretanto, os juízes do Alabama e Ohio tomaram posições contrárias, já que levaram em consideração que a lei de 1973 não apresenta uma cláusula sobre a proibição do aborto mesmo casos de pandemia.

Até o momento, os Estados Unidos registraram mais de 177 mil pessoas infectadas e 3.416 mortes por Covid-19.