Coronavírus » Crimes

Julgamento de milionário estadunidense é suspenso devido ao surto de coronavírus

O magnata Robert Durst, de 76 anos, está sendo julgado pelo assassinato de sua amiga, que aconteceu em 2000

Isabela Barreiros Publicado em 16/03/2020, às 15h15

O magnata Robert Durst
O magnata Robert Durst - Divulgação/ABC13

De acordo com a CNN, o julgamento do caso de assassinato do magnata estadunidense Robert Durst foi adiado devido à disseminação do coronavírus. As audiências estavam sendo realizadas há apenas seis dias, por volta de 20 anos depois do crime, e devem durar pelo menos cinco meses.

"A partir de segunda-feira, 16 de março de 2020, haverá uma suspensão de todos os julgamentos do júri, tanto aqueles atualmente em andamento quanto os pendentes, até 30 de março. Esta notificação se aplica apenas a julgamentos do júri", afirmou o porta-voz do Departamento de Polícia de Los Angeles, Josh Rubenstein, em comunicado. A decisão foi tomada pelo juiz do tribunal superior Mark E Windham.

Robert Durst, de 76 anos, é um empresário dos Estados Unidos. Acusado de ter assassinado sua melhor amiga Susan Berman, que foi encontrada morta na casa do milionário, em 2000, o magnata foi preso em março de 2015.

Acredita-se que ele tenha cometido o crime em sua residência em Beverly Hills porque Berman supostamente poderia acusa-lo no tribunal pelo desaparecimento de sua esposa, Kathleen McCormack Durst, que ocorreu em 1982.