Coronavírus » Brasil

Polonesa que sobreviveu ao Holocausto é imunizada contra a Covid-19 em SP

Nascida em 1929, Perola ‘Pola’ Waiswol passou por dois campos de concentração: Auschwitz II-Birkenau e Neustadt-Glewe

Fabio Previdelli Publicado em 09/02/2021, às 11h21

Imagem meramente ilustrativa de pessoa sendo vacinada
Imagem meramente ilustrativa de pessoa sendo vacinada - Pixabay

Na manhã de ontem, 8, o Estádio do Pacaembu iniciou o atendimento através de um dos postos drive-thru para a vacinação contra o novo coronavírus em São Paulo.

Por lá, filas e filas de carros aguardavam para que a imunização de idosos de 90 anos ou mais fosse feita. Entretanto, uma das pessoas que aguardava pelo atendimento em seu veículo chamou a atenção: a polonesa Perola ‘Pola’ Waiswol

Judia, a idosa de 92 é uma das pessoas que sobreviveu aos horrores do Holocausto.

Nascida em 1929, na cidade de Kozminek, Pola passou pelos campos de Auschwitz II-Birkenau, na própria Polônia, que na época era ocupada pelas tropas de Hitler; e também por Neustadt-Glewe, na Alemanha. 

Ainda hoje, pouco mais de 76 anos depois da Libertação de AuschwitzWaiswol ainda tem em seu braço a tatuagem com o número pelo qual ela era identificada nos campos de concentração pelos quais passou.

A polonesa é autora do livro “A menina das tranças douradas”, que conta sua trajetória desde sua infância na Polônia, até sua chegada no Brasil, em 1947.  

A imunização da sobrevivente do Holocausto foi comemorada por seus familiares, que há meses só mantém contato com ela por telefone e transmissões de vídeo. 

"Depois de sofrer nos campos de concentração, a vacina é uma nova libertação para a minha avó continuar inspirando as pessoas e continuar escrevendo a linda história de vida que ela construiu até aqui”, disse seu neto Claudio Ejzenbaum em entrevista ao G1. 

Sobre a Segunda Guerra  

Ocorrida entre 1939 e 1945, o segundo conflito militar se dividia entre Eixo (Alemanha, Itália e Japão) e Aliados (França, Inglaterra, EUA e URSS).

Com batalhas sangrentas deixando de 70 a 85 milhões de mortos, a Segunda Guerra ficou marcada pelos horrores da Alemanha Nazista e dos campos de concentração, organizados pelo partido de Adolf Hitler

Nomes como o de Winston Churchill, Franklin D. Roosevelt e Josef Stalin foram de grande importância para combater os regimes fascistas de Hitler e Benito Mussolini.

Um dos capítulos mais sombrios e notórios do século 20 deixou marcas na humanidade que, até hoje, não foram totalmente resolvidas.