Galeria » Nazismo

Alfred Eisenstaedt, o fotojornalista judeu que capturou o ódio de Joseph Goebbels

O profissional que fotografou o famoso beijo no fim da Segunda Guerra Mundial, registrou um momento insólito menos conhecido. Confira a segunda imagem!

Daniela Bazi Publicado em 24/11/2019, às 08h00

Alfred Eisenstaedt também é o autor da icônica foto de um marinheiro norte-americano beijando uma enfermeira na Times Square
Alfred Eisenstaedt também é o autor da icônica foto de um marinheiro norte-americano beijando uma enfermeira na Times Square - Domínio Público

A perturbadora foto tirada pelo fotojornalista judeu Alfred Eisenstaedt durante a conferencia da Liga das Nações, em 1933, do ministro da propaganda do Terceiro Reich Joseph Goebbels, é uma das mais inquietantes imagens já tiradas de uma figura nazista.

Na fotografia, Goebbels se encontra com os braços apoiados na cadeira e com uma postura tensa, transmitindo um ar de inimizade para a câmera do jornalista judeu, que foi responsável pela foto mais famosa da Segunda Guerra.

Joseph Goebbels, em Genebra, 1933 / Crédito: Alfred Eisenstaedt

 

Alfred Eisenstaedt teve a sua presença quase que acidental na conferencia da Liga das Nações que aconteceu no Hotel Carlton, em Genebra, na Suíça. Como outros correspondentes, ele estava lá apenas para cobrir as notícias e tirar fotos.

O fotojornalista comentou em seu livro publicado em 1985, Eisenstaedt on Eisenstaedt: A Self-Portrait  (Eisenstaedt em Eisenstaedt: um autorretrato), como foi tirar a foto. “Em 1933, eu viajei de Lausanne para Genebra para a décima quinta sessão da Liga das Nações. Lá, sentado no jardim do hotel estava Dr. Joseph Goebbels, ministro da propaganda de Hitler. Ele sorriu, mas não para mim. Ele estava olhando para alguém a minha esquerda... De repente, ele me encontrou e eu o encarei. Sua expressão mudou. Aqueles eram os olhos do ódio. Eu era um inimigo? Atrás dele estava seu secretário pessoal, Walter Naumann, com um cavanhaque e o intérprete de Hitler, Dr. Paul Schmidt... Eu devo ter sido perguntado como me senti fotografando esses homens. Naturalmente, não tão bem, mas quando eu tenho minha câmera em minhas mãos eu não tenho medo.”

Em outro ponto, Eisenstaedt afirma que a foto poderia ser intitulada “De Goebbels Com Amor”, pois quando o olhou no jardim do hotel com olhos furiosos, Goebbels esperou que ele fraquejasse. Mas isso não aconteceu.


+Saiba mais sobre a história com os livros abaixo

A Segunda Guerra Mundial: Os 2.174 dias que mudaram o mundo, Martin Gilbert (2014)

link - https://amzn.to/2KyCdp4

Memórias da Segunda Guerra, Winston Churchill (2017)

link - https://amzn.to/2NXKi8V

A Segunda Guerra Mundial, Antony Beevor (2015)

link - https://amzn.to/2Xs4MJP

Histórias não (ou mal) contadas : Segunda Guerra Mundial, Rodrigo Trespach (2017)

link - https://amzn.to/333j5pL

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.