Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Personagem

41 anos depois, homem que tentou matar Ronald Reagan ganhará liberdade

John Hinckley Jr. cometeu atentado contra o então presidente dos Estados Unidos em 30 de março de 1981

Redação Publicado em 02/06/2022, às 11h45

John Hinckley Jr. - United States Federal Bureau of Investigation via Wikimedia Commons
John Hinckley Jr. - United States Federal Bureau of Investigation via Wikimedia Commons

O homem responsável pelo atentado contra o então presidente dos Estados Unidos, Ronald Reagan, receberá liberdade 41 anos após ter cometido o crime em 30 de março de 1981, em Washington.

John Hinckley Jr. poderá deixar a prisão a partir do dia 15 deste mês de junho a partir da decisão de um tribunal dos EUA, que não o considerou mais como uma ameaça, seis anos depois de receber a liberação de um hospital psiquiátrico.

Ele passou por décadas de tratamento psiquiátrico, além de uma série de exames, que segundo um relatório do governo apresentado no tribunal no último dia 19 de maio, levaram a um estado mental “estável” e à “remissão completa e sustentada há décadas” de sua doença psiquiátrica.

“Ele não relatou ou exibiu quaisquer sintomas psiquiátricos consistentes com humor, ansiedade ou transtorno psicótico”, acrescentou o texto lido ao juiz, que determinou liberdade incondicional a Hinckley.

O atentado

Em 30 de março de 1981, o presidente Ronald Reagan estava em frente ao Hotel Hilton, em Washington, quando seis tiros foram dados por Hinckley Jr. em direção ao chefe de estado. Os disparos atingiram não só o presidente, como três assistentes e o assessor de imprensa James Brady, que ficou paraplégico e morreu em 2014.

Reagan teve um dos pulmões perfurados com o atentado e foi levado ao hospital e o responsável pelos tiros foi imediatamente capturado. Ele afirmou depois que estava tentando impressionar a atriz Jodie Foster, por quem havia ficado obcecado após assistir “Taxi Driver”.

+ Saiba mais sobre o atentado com essa reportagem.