Notícias » Estados Unidos

Milionário estadunidense é indiciado por assassinato décadas depois do desaparecimento da ex-esposa

Robert Durst já cumpre prisão perpétua pelo homicídio de sua amiga

Isabela Barreiros Publicado em 02/11/2021, às 08h27

O milionário Robert Durst durante o julgamento
O milionário Robert Durst durante o julgamento - Getty Images

Na última segunda-feira, 1, o milionário estadunidense Robert Durst foi indiciado por assassinato no caso de desaparecimento e morte da sua primeira esposa, Kathie McCormack Durst, que aconteceu em 1982. 

A acusação de assassinato de segundo grau foi definida por um grande júri nos subúrbios de Nova York, nos Estados Unidos, enquanto Durst já cumpre uma pena de prisão perpétua pelo homicídio de Susan Berman.

De acordo com as investigações da polícia, Berman era amiga e confidente do milionário, que teria o ajudado a encobertar o assassinato de sua ex-esposa, mas que estaria se preparando para relatar o caso à polícia, o que fez com que Durst a matasse.

“Quando Kathleen Durst desapareceu em 31 de janeiro de 1982, sua família e amigos ficaram com dor, angústia e dúvidas que contribuíram para sua busca inabalável por justiça nos últimos 39 anos”, afirmou o promotor distrital de Westchester, Mimi Rocah, no anúncio da acusação.

Robert e Kathie Durst foram casados por nove anos. A mulher estava cursando os últimos meses da faculdade de medicina quando desapareceu, aos 29 anos de idade, em 1982.

Oito anos depois, o multimilionário herdeiro imobiliário pediu o divórcio, alegando abandono. Ela foi declarada morta em 2017, mas Robert nunca foi acusado do desaparecimento. 

Segundo os promotores do caso, ele assassinou a amiga, Susan Berman, que estava se preparando para relatar à polícia sobre o homicídio de Kathie em dezembro de 2000. Robert foi condenado por este crime em setembro deste ano. As informações são do jornal britânico The Guardian.