Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Rússia

Ministério da Defesa da Rússia afirma ter eliminado quase 2 mil mercenários na Ucrânia

O grupo continha soldados de diversos países, todos foram mortos por mísseis

Redação Publicado em 17/06/2022, às 15h16

Putin durante evento na China, em 2022 - Getty Images
Putin durante evento na China, em 2022 - Getty Images

Nesta sexta-feira, 17, o Ministério da Defesa da Rússia informou que o Exército eliminou 1.956 mercenários na Ucrânia, de um total de 6.956 combatentes estrangeiros que estavam lutando com as forças ucranianas. O porta-voz do Ministério da Defesa, Igor Konashenkov disse que "desde o início da operação militar especial na Ucrânia, 6.956 pessoas (entre mercenários e especialistas em armas) chegaram ao país, das quais 1.956 foram eliminadas e outras 1.179 deixaram o país”.

Segundo ele, o país “líder” entre os europeus para a chegada de combatentes estrangeiros é a Polônia, e que, daquele país, 1.831 cidadãos estavam lutando na Ucrânia e 378 deles foram mortos.

O porta-voz também afirmou que há muitos combatentes da Romênia e do Reino Unido, enquanto 601 canadenses e 530 americanos chegaram à Ucrânia vindos do outro lado do oceano. Ele também citou sobre os países do Oriente Médio, Transcaucásia e Ásia, em que o maior número de soldados que combatem as forças russas vieram da Geórgia, mesmo que metade deles tenha sido eliminado.

Os ataques russos

Ao especificar que o ataque foi realizado com mísseis aéreos de alta precisão, Konashenkov disse: “Nas proximidades da cidade de Pesochin, na região de Kharkiv, o comando da formação nacionalista Azov foi destruída”.

Os mísseis russos também atingiram 18 centros de concentração militar e equipamentos bélicos, assim como dez posições de artilharia e morteiros ucranianos, incluindo seis baterias de lançadores múltiplos Grad na região de Donetsk, onde dois depósitos de armas e munições foram também destruídos, segundo o comando russo, via Uol.

De acordo com a Defesa, a aviação russa também destruiu 58 centros de concentração militar e equipamentos bélicos, um armazém de munições perto de Lysychansk, em Lugansk, e dois lançadores de mísseis antiaéreos Buk-M1 e Osa-AKM, na região de Donetsk. Além disso tudo, entram para a conta de destruídos dez tanques e veículos blindados, seis peças de artilharia, quatro lançadores múltiplos e nove veículos militares.