Notícias » Brasil

‘Não faz sentido usar essa expressão’: Ana Maria Braga se desculpa por falar sobre 'racismo reverso'

“Eu peço desculpas e aproveito o que aconteceu como oportunidade para mais informação", disse a apresentadora

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 02/03/2021, às 17h07

A apresentadora Ana Maria Braga
A apresentadora Ana Maria Braga - Wikimedia Commons

Hoje, 2, a apresentadora Ana Maria Braga abriu o Mais Você se desculpando por ter afirmado que “racismo reverso” existe. No programa de ontem, Ana Maria e o repórter Ivo Madoglio debateram uma fala da participante do BBB21 Lumena. As informações são do site do GShow. 

Durante a conversa, a apresentadora disse que Lumena, que é negra, estava praticando “racismo reverso” com outra participante, Carla Diaz, que é branca. No Mais Você desta terça, ela admitiu o erro.

"Ontem, depois do programa, eu li várias postagens nas redes sociais informando que eu havia feito um comentário equivocado”, disse Ana Maria. “Foi quando mostramos a Lumena falando com o Fiuk sobre 'branquitude', se referindo a Carla Diaz. Nesse momento usei a expressão preconceito reverso, entendido por muitos também como racismo reverso. Vieram muitas críticas e isso me impulsionou ir atrás da informação."

Ela continuou: "Muitos ativistas e pensadores da atualidade criticam o discurso do preconceito contra brancos, reforçando que a definição de racismo não se limita à cor da pele. Para esses estudiosos, racismo é um sistema de opressão e, para haver racismo, deve haver relações de poder. Negros não possuem poder institucional para serem racistas contra brancos".

A apresentadora também falou sobre a dificuldade dos debates que estão acontecendo dentro do BBB, que considerou como “reflexo da dificuldade que a sociedade ainda tem em lidar com essas questões”.

“Vamos debatendo, vamos aprendendo e chamando mais gente para essa conversa. Então, não faz sentido usar essa expressão. Eu peço desculpas e aproveito o que aconteceu como oportunidade para mais informação", concluiu.