Notícias » Mundo

Os pais de Madeleine McCann ainda acreditam que a filha está viva?

Caso ganhou novos capítulos essa semana, 15 anos após o desaparecimento de Madeleine

Alan de Oliveira | @baco.deoli, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 23/04/2022, às 07h39

McCann family
McCann family - Getty Images

Um alemão de cerca de 45 anos de idade. Segundo as autoridades portuguesas, esse é o suspeito formalmente indiciado ontem, 22, pelo desaparecimento da menina MadeleineMcCann, no ano de 2007, em um resort de Algarve — região no extremo sul de Portugal.

Em depoimento forte, Kate e GaryMcCann (pais da menina) disseram que mesmo com as chances remotas, ainda possuem um fio de esperança em reencontrar sua filha. As informações foram trazidas do veículo “The Sun” e apuradas pelo portal de notícias “UOL”.

É importante destacar que o suspeito não foi acusado por nenhum crime específico relacionado ao desaparecimento de Madeleine. Mesmo que a possibilidade seja pequena, nós não abrimos mão da esperança de que Madeleine esteja viva e de nos reunirmos com ela um dia”, disseram os pais de McCann em depoimento.

O suspeito

O acusado do desaparecimento é identificado como Christian B. Com quase 50 anos, recentemente a polícia alemã levantou uma acusação de pedofilia contra ele, além do sujeito já possuir um histórico criminal com condenações por tráfego de drogas e também uma grave setença em segurança máxima após estupro de uma americana de 72 anos na praia da Luz — mesmo local que Madeleine despareceu.

Segundo as autoridades alemãs, ele possui outras condenações por abuso sexual contra crianças e é investigado em diversos crimes, como: 

O desaparecimento de IngaGericke, de 5 anos, em uma floresta de Stendhal, a oeste de Berlim (Alemanha), em 2015;

O desaparecimento do garoto RenéHasse, de 6 anos, no Algarve, em 1996;

O desaparecimento de Joana Cipriano, de 8 anos, na vila de Figueira, perto da praia da Luz, no Algarve, em 2004;

O desaparecimento do menino português JairSoares, sete anos, em uma praia da Holanda, em 1995;

O assassinato de CarolaTitze, alemã de 16 anos encontrada morta na Bélgica com o corpo mutilado, em 1996;

A morte de um menino de 13 anos, em Frankfurt em 1998;

A agressão sexual a uma menina de 10 anos na região do Algarve, em 2007, poucas semanas antes do desaparecimento de Madeleine; e

O estupro de uma menina irlandesa, em 2004, no Algarve.

Caminho até a acusação

A Reuters teve acesso a documentos judiciais, relatando que Christian viveu no Algarve de 1995, até o ano de 2007. Vivia assaltando hotéis e apartamentos, falsificava documentos, além de roubar diesel.

Pela sua localização e raras pistas deixadas na época do crime, as semelhanças chamaram bastante a atenção dos policiais de ambos os países, que em um trabalho em conjunto, identificaram ele como um possível suspeito em 2020, para agora, 2022, acusá-lo de forma legal.