Notícias » Religião

Padroeiro da Internet, Carlo Acutis pode se tornar o primeiro santo da Era Millenial

Acutis já é considerado o mais jovem contemporâneo a ser beatificado, através de seus serviços na internet a favor do Evangelho

Giovanna de Matteo Publicado em 13/10/2020, às 11h00

Corpo de Carlo Acutis
Corpo de Carlo Acutis - Crédito: Divulgação/Youtube

Carlo Acutis, um adolescente britânico de descendência italiana, reconhecido como o "Padroeiro da Internet", que morreu de leucemia em 2006 aos 15 anos, foi beatificado em cerimônia religiosa na cidade de Assis, na Basílica de São Francisco de Assis, no último sábado, 10.

O adolescente ficou famoso por ter registrado supostos milagres na internet, além de ajudar a administrar sites para organizações católicas.

Acutis subiu um degrau no caminho da santidade após o Vaticano ter confirmado que ele havia salvado uma criança brasileira, que sofria uma rara doença pancreática, através de um milagre. 

Desse modo, ele se tornou o mais jovem contemporâneo a ser beatificado - que seria o último estágio antes da canonização. O cardeal Agostino Vallini que realizou a cerimônia declarou que “Carlo usou a Internet a serviço do Evangelho, para alcançar o maior número possível de pessoas".

"Os jovens podem estar cansados ​​de um ministério pastoral que talvez esteja um pouco fora de sintonia com os tempos, apesar de todos os seus esforços", disse Enzo Fortunato, porta-voz da Igreja, e ainda acrescentou: “O Senhor intervém na história e nos assuntos humanos e nos dá essas luzes orientadoras”, segundo a agência de notícias AFP.

Segundo a BBC, para que Acutis se torne santo, o Vaticano teria que verificar um segundo milagre em seu nome. Apesar de que o Papa Francisco já dispensou esse requisito em outras ocasiões. 

Ele já teria passado por três das quatro fases necessárias para santificação. Se o próximo passo acontecer, o adolescente pode se tornar o primeiro santo da Era Millenial - geração nascida entre 1980 a 1996.

“[Acutis] viu que muitos jovens, querendo ser diferentes, realmente acabam sendo como todos os outros, correndo atrás de qualquer que seja o poderoso posto diante deles com os mecanismos do consumismo e da distração”, disse o Papa quando falou sobre o adolescente no ano passado.