Notícias » Paquistão

Paquistão condena 6 homens com a pena de morte

Foram condenadas dezenas de pessoas em crime classificado como 'vergonha do país' para primeiro-ministro, confira

Alan de Oliveira | @baco.deoli Publicado em 20/04/2022, às 09h30

Povo em luto no Paquistão
Povo em luto no Paquistão - Getty Images

Nesta segunda-feira (18), um tribunal paquistanês condenou a pena de morte para 6 homens, além de dezenas de prisões, pelo assassinato brutal de diretor de fábrica no Sri Lanka a quem acusavam de 'blasfêmea'.

Ataque ocorrido em Sialkot, no dia 3 de dezembro, causou revolta na população do país. O até então primeiro-ministro Imran Khan, classificou o dia como “vergonha para o Paquistão”.

Segundo a promotoria do caso, 88 das 89 pessoas acusadas durante as sessões, foram condenadas, sendo 6 de morte e 9 à prisão perpétua. O restante, acarretam penas de 2 até 5 anos.

"A equipe da promotoria trabalhou muito para apresentar seu caso ao tribunal e chegar a esta sentença", disse à AFP AbdulRaufWattoo, o promotor principal. "Estamos satisfeitos com o resultado", acrescentou.

No momento do crime, um policial disse que ouviu rumores no local, de que a vítima teria arrancado uma faixa religiosa e jogado no lixo.

Repercussão do crime

Estão circulando diversos vídeos que supostamente mostram as agressões à Diyawadana. Em outros, é possível ver até o corpo em chamas.

As organizações de direitos humanos do país e do mundo todo, classificam o ato como uma intolerância religiosa e que a justificativa de 'blasfêmia', é sempre muito utilizado em ataques motivados por vingança e ódio.