Notícias » Ásia

Peng Shuai: CEO da Associação de Tênis Feminino exige provas de que a tenista está segura

Sem acreditar no governo chinês, Steve Simon publicou uma declaração demandando atualizações sobre a atleta

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 18/11/2021, às 18h18

Peng Shuai sacando em meio a partida de tênis
Peng Shuai sacando em meio a partida de tênis - Wikimedia Commons

A rede social Weibo, que é popularmente chamada de ‘Twitter chinês’, foi utilizada por Peng Shuai, campeã internacional de tênis, para denunciar um caso de assédio sexual perpetuado por Zhang Gaoli, ex-vice-premiê, no começo do mês de novembro.

No entanto, desde então, a esportista tem estado desaparecida, o que preocupa a comunidade internacional. 

Nesta última semana, a imprensa oficial do Estado chinês divulgou um e-mail que supostamente teria sido escrito por Shuai. Nele, a moça aparentemente nega a validade das declarações de sua publicação original, afirmando que as acusações não eram verdadeiras e garantindo que ela está bem, só "descansando".

Como não traz quaisquer fotos novas da tenista ou outra prova de sua segurança, o comunicado tem sido escrutinado por inúmeras pessoas, incluindo o CEO da Associação de Tênis Feminino (WTA), Steve Simon, que abertamente disse que não acredita que o e-mail é de autoria de Peng Shuai.

"Peng Shuai demonstrou uma coragem incrível ao descrever uma alegação de agressão sexual contra um ex-alto funcionário do governo chinês. A WTA e o resto do mundo precisam de uma prova independente e verificável de que ela está segura", narrou ele em uma declaração oficial

"Tentei repetidamente entrar em contato com ela por meio de várias formas de comunicação, sem sucesso", completou Simon.

Até o momento, não houve nenhuma atualização do governo chinês sobre a segurança da tenista, deixando a comunidade internacional apreensiva e revoltada com as atitudes tomadas até então pelas autoridades da China.