Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mundo

Presidente do México sugere demolição da Estátua da Liberdade caso jornalista morra nos EUA

Falas sobre o caso de Julian Assange repercutem mundialmente e deixam mídia local intrigada

Redação Publicado em 06/07/2022, às 07h53

Presidente do México durante um pronunciamento feito para a mídia local - Getty Images
Presidente do México durante um pronunciamento feito para a mídia local - Getty Images

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, fez uma efusiva declaração na tarde de segunda-feira, 4, ao indiciar uma punição aos Estados Unidos caso o jornalista, programador de computador e ativista australiano, Julian Assange, seja condenado a uma sentença máxima no país.

As falas rapidamente repercutiram no mundo inteiro, ainda mais entre os mexicanos, que fizeram diversas cíticas pelo fato da nação ser uma das que mais mata jornalistas em todo o planeta.

“Se o levarem para os EUA e ele for condenado à pena máxima e morrer na prisão, devemos iniciar uma campanha para derrubar a Estátua da Liberdade”, disse o presidente durante entrevista coletiva para a imprensa mexicana.

Andrés Manuel já elogiou Julian publicamente em diversas ocasiões. Assange é fundador do Wikileaks, site que publica documentos, fotos e informações confidenciais vazadas de governos ou empresas, sobre assuntos sensíveis.

Condenações de Assagne

Conforma a apuração do portal MediaTalks, o australiano ficou sete anos asilado na baixada do Equador antes de ser preso em Londres, em 2019.

Na busca por punir os trabalhos feitos pela organização, os Estados Unidos usaram de diversas trativas jurídica afim de extraditá-lo, para responder aos processos de espionagem no país no vazamento de segredos militares das guerras do Iraque e do Afeganistão. Após seis meses de argumentações, o governo britânico concedeu a extradição, mas a defesa de Assagne ainda tenta um último recurso.

Uma possível condenação do jornalista do WikiLeaks, segundo López Obrador, significará que a estátua em Nova York “não será mais um símbolo de liberdade”, por isso, deve se “começar a campanha para demolir a Estátua da Liberdade que os franceses entregaram aos EUA”.

Por fim, o líder da nação mexicana falou que levará o assunto para a reunião com o líder americano, Joe Biden, em sua visita a Washington no dia 12 de julho. Ele concluiu a coletiva dizendo que já discutiu esse tema com o ex-presidente Donald Trump, pois é um caso em que “não pode haver silêncio”.