Notícias » Estados Unidos

Trump recebe visita de homem que matou em legítima defesa durante protesto antirracista

Kyle Rittenhouse tinha 17 anos na época e foi absolvido de todos os crimes na última sexta-feira, 19

Pamela Malva Publicado em 24/11/2021, às 20h00 - Atualizado em 25/11/2021, às 01h19

Fotografias de Donald Trump e Kyle Rittenhouse, respectivamente
Fotografias de Donald Trump e Kyle Rittenhouse, respectivamente - Getty Images

Em agosto de 2020, Kyle Rittenhouse, então com 17 anos, matou duas pessoas durante um protesto antirracista em Wisconsin, nos Estados Unidos. Agora, após ser absolvido das acusações, o jovem fez uma visita ao ex-presidente norte-americano, Donald Trump, segundo o próprio político narrou em entrevista à Fox News.

Rittenhouse gerou diversas polêmicas em 2020 após atirar contra três pessoas com um fuzil semiautomático. Duas das vítimas morreram, enquanto a terceira ficou ferida. Na época, ele foi acusado de cinco crimes e acabou sendo condenado à prisão perpétua.

Na última sexta-feira, 19, no entanto, o garoto, que agora tem 18 anos, foi absolvido de todas as condenações. Nesse sentido, os doze jurados que avaliaram o caso acataram a defesa dos advogados de Kyle, cuja tese afirma que ele agiu em legítima defesa. Assim, o jovem foi considerado inocente, inclusive da acusação de homicídio.

Uma vez livre, então, Rittenhouse fez um pedido a Donald Trump. “Ele ligou. Ele queria saber se poderia vir, dizer olá, porque é meu fã”, narrou o ex-presidente. Em reportagem transmitida na última terça-feira, 23, a Fox News afirmou que o encontro aconteceu em um resort do político republicano em Palm Beach, na Flórida.

Ele veio com a mãe. Realmente um jovem legal. Isso foi má conduta do Ministério Público. Ele não deveria ter sofrido com um julgamento por isso. Ele ia estar morto", avaliou Trump, por fim.