Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Soldado russo

Vídeo em que soldado russo castra prisioneiro ucraniano causa indignação

Filmagem foi postada em canais russos no Telegram e autoridades afirmam ter identificado agressor

Redação Publicado em 30/07/2022, às 13h27

Imagem ilustrativa - Pixabay/Eugene_69
Imagem ilustrativa - Pixabay/Eugene_69

Um vídeo que supostamente mostra um soldado russo castrando um prisioneiro ucraniano vem causando horror nas redes sociais e foi comentada internacionalmente por vários analistas, que expressaram sua indignação.

A filmagem havia sido postada em canais russos no aplicativo Telegram, mas logo se espalhou para as plataformas ocidentais e ainda não teve sua autenticidade verificada de forma independente pelos principais jornais do mundo.

Segundo informou o UOL, é possível ver a vítima deitada, que tem a cabeça chutada pelos russos enquanto permanece com as mãos amarradas nas costas. O ucraniano ainda parece ter o órgão genital cortado pelos agressores.

Já o jornal britânico The Guardian acrescentou que relatórios sugerem que o indivíduo foi posteriormente assassinado após a agressão, mostrada no vídeo cuja proveniência e data são desconhecidas.

A ONG Myrotvorets e outras fontes ucranianas alegam ter identificado o russo responsável pela castração — o homem que segura a faca no vídeo. Ele seria um combatente de 39 anos de Kalmykia, região da Rússia no Mar Cáspio.

O indivíduo seria ainda integrante do grupo armado Luhansk Bryanka-SSSR, pró-Putin, cuja reputação é de grande violência.

Repercussão no mundo

Ao The Guardian, a diretora da Anistia Internacional para a Europa Oriental e Ásia Central, Marie Struthers, disse que a gravação “foi mais um aparente exemplo de completo desrespeito pela vida e dignidade humana na Ucrânia cometido pelas forças russas”.

“Todos os suspeitos de responsabilidade criminal devem ser investigados e, se houver provas suficientes admissíveis, processados ​​em julgamentos justos perante tribunais civis comuns e sem recurso à pena de morte”, acrescentou.

Pelo Twitter, o conselheiro presidencial ucraniano Mykhailo Podolyak escreveu: “Todo o mundo precisa entender: a Rússia é um país de canibais que gostam de tortura e assassinato. Mas o nevoeiro da guerra não ajudará a evitar a punição dos carrascos. Identificamos todos. Vamos pegar todos.”


+O site Aventuras na História está no Helo! Não fique de fora e siga agora mesmo para acessar os principais assuntos do momento e reportagens especiais. Clique aqui para seguir!