Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Vinho

Vinho mais antigo do mundo pode ter sido descoberto em ruínas da Pompéia

Ânfora contendo misterioso líquido estava em curiosa tumba ligada a lápides históricas

Éric Moreira, sob supervisão de Wallacy Ferrari Publicado em 26/05/2022, às 11h51

Imagens de urna encontrada pelo pesquisador - Divulgação / Llorenç Alapont
Imagens de urna encontrada pelo pesquisador - Divulgação / Llorenç Alapont

Um corpo parcialmente mumificado foi encontrado nas ruínas de Pompeia há cerca de um ano, juntamente de uma ânfora — espécie de vaso com duas alças — contendo um líquido avermelhado misterioso. Uma lápide identificava o corpo, Marcus Venerius Secundio, um ex-escravo, além de serem identificadas cinzas de outras 4 pessoas, que se acredita serem esposa e filhos de Marcus.

Em uma tumba anexada à da lápide, foi encontrada uma caixa de metal com uma urna de vidro dentro. Dentro do recipiente continham "mais de seis litros de um líquido avermelhado misterioso", segundo o arqueólogo Llorenç Alapont. De acordo com pesquisadores da Universidade de Valencia, na Espanha, acredita-se que o líquido em questão seja um tipo de vinho.

Caso isso se confirme, será a primeira vez que se constata que o vinho se conserva neste estado e seria o mais antigo encontrado na história, um vinho com mais de 2 mil anos", apontou Llorenç.

Segundo ele, outros vinhos antigos já foram encontrados anteriormente, mas nunca preservado em estado líquido por tanto tempo, como informou o portal de notícias da emissora de TV por assinatura History Channel Brasil.

Vinho mais antigo?

Caso a descoberta do líquido avermelhado de Pompeia se confirme como sendo a de um vinho, este passará a ser considerado o vinho mais antigo do mundo. No momento, o posto serve a uma garrafa de 1693 anos, com a bebida estragada. O vinho em questão foi encontrado em 1867, em Speyer, na Alemanha, e é do ano 325. A peça está exposta no museu local.