Matérias » Crimes

Donald Shea: o dublê de Hollywood que foi morto pela família Manson

Segurança do Spahn Ranch, Shea foi brutalmente assassinado e seu corpo só foi encontrado 8 anos depois do crime

Fabio Previdelli Publicado em 29/07/2020, às 18h00

Donald Shea, o dublê morto por Charles Manson
Donald Shea, o dublê morto por Charles Manson - Divulgação

Semanas depois que os seguidores de Charles Manson mataram a atriz Sharon Tate e outras três pessoas na casa em Cielo Drive, outro homem foi brutalmente assassinado pelas mãos do bando: Donald Shea, também conhecido como “Shorty” (ou “Baixinho” em tradução literal), um aspirante a ator e dublê.

A localização de seu corpo, no entanto, só foi descoberta em 1977, 8 anos após sua morte. Com isso, além de Manson, Steve Grogan e Bruce Davies foram condenados pelo crime. Até hoje existe a dúvida sobre a possível contribuição de Tex Watson, Bill Vance e Larry Bailey — também conhecido como Larry Giddings — no ato, porém, eles nunca chegaram a ser acusados formalmente.

Mas quem era Donald Shea?

Nascido em Massachusetts em 18 de setembro de 1933, ele se mudou, posteriormente, para a Califórnia, onde almejava seguir uma carreira de ator em Hollywood. Apesar de nunca ter conseguido alcançar seu objetivo, seus amigos afirmam que ele jamais desistiu. Paralelamente a isso, Donald trabalhava como segurança do Spahn Ranch — residência principal de Charles Manson e seus seguidores, a "Família Manson", por grande parte de 1968 e 1969.

Charles Manson em 1968 / Crédito: Divulgação

 

Com quase 1,80 metro de altura, Shea era bem relacionado com os outros funcionários do local, que lhe deram o apelido irônico de “Shorty”. Quando a família Manson se mudou para Spahn Ranch, Donald, inicialmente, coexistiu com eles pacificamente, mas, com o passar do tempo, Charles Manson começou a desprezá-lo porque se casara com uma mulher negra chamada Magdalena.

Manson odiava e desconfiava dos negros e ficara enojado quando os amigos de Magdalena apareceriam no rancho. Por isso, ela ficou por lá apenas algumas semanas antes de deixá-lo e voltar para Las Vegas.

A morte do dublê

Em determinado momento, Shea planejou ajudar George Spahn a expulsar a Família do Rancho Spahn, principalmente depois que os conflitos dela com a lei ficaram fora de controle. Por acreditar que Donald havia os denunciado para a polícia — o que acabou resultando em uma invasão no rancho em 16 de agosto, onde a família foi presa por suspeita de agressão e roubo de carro —, Manson decidiu que acabaria com a vida daquele que considerava ser o “informante” das autoridades.

Shea acabou sendo assassinado em 26 de agosto de 1969, aos 35 anos. Segundo Bruce Davis, Charles lhe pediu para que, junto de Tex e Steve, eles pedissem uma carona até um pátio de ferramentas que ficava perto do rancho. Quando chegaram lá, Davies relembra de estar sentado no banco de trás do veículo quando Grogan bateu em Donald com uma chave inglesa.

Manson sendo julgado pelos crimes do casal LaBianca / Crédito: Divulgação

 

Imediatamente, Watson esfaqueou o segurança. Já desorientado, Shea foi levado para uma colina atrás do rancho, onde foi esfaqueado novamente e brutalmente torturado até seu último suspiro.

Além dessa versão, outra teoria para a morte do rapaz se baseia em Windy Bucklee, esposa do Randy Starr, funcionário da fazenda Spahn Ranch. Windy teria sido espancada por Manson após ela descobrir que o criminoso pegava seu caminhão para praticar pequenos assaltos. Quando recusou ceder novamente seu veículo, ela acabou sendo espancada.

Quando soube disso, Shea teria ido de encontro a Manson e o agredido. Além do mais, teria desferido ameaças caso ele retornasse ao rancho.

O júri e a admissão

O caso veio à tona após Barbara Hoyt testemunhar ao grande júri o episódio. “Foi por volta das 22 horas quando ouvi um grito alto, tão alto que chegava a gelar o sangue”, disse ela. “Então, tudo ficou quieto por um minuto ou mais. Foi aí que os gritos começaram novamente, parecia que continuariam para sempre. A partir daí eu não tinha dúvida que Shorty estava sendo assassinado naquela ocasião”. Quando o segurança já estava morto, coube a Grogan o enterrá-lo. Especulações da época davam conta de que Donald havia sido “desmembrado em nove pedaços”.

Barbara Hoyt / Crédito: Wikimedia Commons

 

Apesar do relato aterrorizante, sua versão destoa um pouco da história contada por Davis e Grogan em suas audiências. Windy Bucklee também foi interrogada e afirmou que Shea não era o tipo de pessoa que gritaria e imploraria pela vida, e acredita que ele morreria lutando contra os criminosos.

O que se sabe de concreto é que os restos de Shea só foram encontrados em uma encosta cerca de Santa Susana Road, perto do Spahn Ranch, em dezembro de 1977. A descoberta só foi possível depois que Steve Grogan concordou em ajudar as autoridades na recuperação do corpo, desenhando um mapa de sua localização.

De acordo com o relatório da autópsia, seu corpo sofreu várias perfurações de faca e ferimentos no peito. Além disso, um traumatismo brusco na cabeça também foi constatado. Atualmente, Donald Shea está enterrado em um terreno comunitário no Angeles Abbey Memorial Park, em Los Angeles, Califórnia.


+Saiba mais sobre assassinatos e psicopatia por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Manson: A Biografia, de Jeff Guinn (2014) - https://amzn.to/34u09ln

Meu Amigo Dahmer: Estudando com um serial killer, de Derf Backderf (2017)  - https://amzn.to/37LYxW5

O Diário de Jack, O Estripador, de Shirley Harrison (2019) - https://amzn.to/34zeXze

Arquivos Serial Killers. Made in Brazil e Louco ou Cruel, de Ilana Casoy (2017) - https://amzn.to/35LVsU7

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du