Matérias » Hollywood

Dos clássicos oitentistas ao ataque cardíaco: A trajetória do cineasta John Hughes

Conhecido por ter dirigido filmes inesquecíveis, como: Curtido a Vida Adoidado e Clube dos Cinco, o norte-americano teve um triste e inesperado fim

Penélope Coelho Publicado em 25/11/2020, às 14h30

John Hughes em entrevista no ano de 1986
John Hughes em entrevista no ano de 1986 - Divulgação/Youtube/Mike Krumlauf

Em 18 de fevereiro de 1950, no estado do Michigan, nos Estados Unidos, nascia um dos mais famosos diretores e cineastas, que vivenciou o auge de sua carreira nas décadas de 1980 e 1990: John Wilden Hughes Jr.

Conhecido por ter escrito, dirigido e produzido filmes adolescentes que atualmente são considerados clássicos, como: Gatinhas & Gatões (1984); Clube dos Cinco (1985) e Curtido a Vida Adoidado (1986).

Além do roteiro de Esqueceram de Mim (1990); Esqueceram de Mim 2- Perdido em Nova York (1992); e sua sequencia, Esqueceram de Mim 3 (1997). O homem é até os dias atuais considerado por muitos como o ‘rei da sessão da tarde’, em uma referência ao programa de televisão brasileiro, que exibe até hoje muitos filmes de Hughes.

O início

Filho de Marion Crawford e John Hughes Sênior, ele era o único menino da família entre três irmãs. Durante sua infância, foi taxado de nerd e se considerava um garoto tímido e quieto. Em entrevistas, o diretor afirma que passou muito tempo sozinho, mas, de alguma forma essa solidão o motivou a inventar histórias em sua cabeça, servindo de inspiração para seus futuros filmes.

Hughes em entrevista realizada no ano de 1984 / Crédito: Divulgação/Youtube/The Bobbie Wygant Archive

 

Quando sua família se mudou para Chicago — local que serviu como cenário para a maioria de suas produções — as coisas começaram a mudar para Hughes. Em seu novo colégio ele conheceu Nancy Ludwig, líder de torcida e também sua futura esposa. Ele se casou aos 20 anos com Nancy e o casal teve dois filhos: John Hughes III e James Hughes.

Paralelo a isso, nessa fase de sua vida, John usava sua criatividade como rota de fuga, mas, era constantemente criticado por seus pais que não apoiavam a escolha do filho.

Grandes conquistas

Na universidade, o homem tentou seguir uma ‘carreira formal’ como a que seus progenitores desejavam, mas, sabia que esse não era seu destino, por isso, abandonou os estudos a fim de trabalhar como redator publicitário para campanhas que foram um verdadeiro sucesso.

A rapidez da escrita de Hughes impressionou e não demorou muito para que logo ele começasse a trabalhar em roteiros maiores, no ano de 1983. As produções agradaram tanto que no mesmo ano, o cineasta fechou um contrato com a Universal Studios para a produção de três filmes.

O homem estreou na direção de filmes com Gatinhas & Gatões (1984) e seguiu em uma sequência de trabalhos bem sucedidos. Na época em que trabalhou nesses longas, John foi elogiado pela forma com que retratava a vida dos jovens, constatando a dinâmica social da época, com os dramas escolares e uma excelente trilha sonora.

Contudo, o diretor não gostava de ser rotulado como um ‘cineasta de filmes adolescentes’ e se aventurou em outros gêneros como a comédia e também foi bem aceito pela crítica.

Cena do filme Clube dos Cinco (1985), dirigido e escrito por John / Crédito: Divulgação/Universal Pictures

 

Em contrato com a Walt Disney Pictures, a produtora de John em parceria com Ricardo Mestres, Great Oaks Entertainment, produziu filmes como Jack (1996) e 101 Dálmatas (1996), mas, a breve parceria chegou ao fim em 1997.

Apesar do sucesso, hoje em dia, alguns de seus filmes são considerados problemáticos em uma visão mais atual. A atriz e musa dos filmes de John, Molly Ringwald, veio a público recentemente para comentar sobre algumas produções e cenas não serem "adequadas para os tempos de Me Too" (movimento contra assédio e agressão sexual).

Fim inesperado

Desde 1999, o cineasta buscava uma vida mais tranquila longe dos holofotes e raramente concedia entrevistas ou aparecia publicamente, o que acontecia somente em ocasiões especiais. Por isso, a notícia de sua morte foi um verdadeiro choque.

Dificilmente os tabloides tinham qualquer informação sobre Hughes, mas, em de agosto de 2009, o mundo ficou sabendo de seu inesperado fim. Na ocasião, John e a esposa faziam uma viagem para Nova York para visitarem o filho James.

Na época, o filho do diretor relatou que seu pai parecia bem na noite de 5 de agosto e que, além disso, eles tinham feito planos para a manhã seguinte. Contudo, após uma caminhada matinal no dia 6 daquele mês, o homem sofreu um ataque cardíaco.

O cineasta foi socorrido às pressas, mas, os danos em seu corpo foram extensos e ele não resistiu: Hughes faleceu aos 59 anos de idade, em 6 de agosto de 2009. Mesmo depois de deixar o mundo de maneira repentina, o legado do diretor continua vivo e é lembrado até hoje pelos fãs dos clássicos produzidos por ele.


+Saiba mais sobre Hollywood por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Hollywood: 131, de Charles Bukowski (1998) - https://amzn.to/2UXDWKe

Cenas de uma revolução: o nascimento da nova Hollywood, de Mark Harris (2011) - https://amzn.to/3c6gqAr

O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler, de Ben Urwand (2019) - https://amzn.to/2ViwOqO

Hollywood Babylon: The Legendary Underground Classic of Hollywood's Darkest and Best Kept Secrets (Edição Inglês), de Kenneth Anger (1981) - https://amzn.to/2RurMWU

O livro do cinema, de Vários autores (2017) - https://amzn.to/2VeOS52

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W